quinta-feira, 22 de abril de 2021

Queda de cabelo: dermatologista avalia causas do problema

 Joanne Ferraz, especialista e professora do curso de Medicina do Unipê, apresenta possíveis doenças e explica suas origens


João Pessoa, 22 de abril de 2021 – Identificar as causas da queda de cabelos das pessoas é um desafio, porque os motivos podem ser variados. E é por isso que a médica dermatologista Joanne Ferraz, do curso de Medicina do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), aponta os fatores que interferem nesse processo, que podem ser passageiros ou crônicos e decorrentes de possíveis problemas de saúde.
Em situações normais, é comum perder entre 60 e 100 fios de cabelo por dia, pois essa renovação faz parte do ciclo de crescimento capilar. No entanto, o problema se dá quando essa queda é excessiva. Ao perceber isso, a pessoa precisará buscar ajuda profissional.
“Devemos procurar um médico dermatologista para que seja feito o diagnóstico por meio da anamnese detalhada, do exame físico, identificando o padrão da perda de cabelos, e do exame dermatoscópico do couro cabeludo. Alguns exames complementares podem ser necessários para excluir outras possíveis doenças”, destaca a médica.
Questões genéticas podem ser decisivas para a queda dos cabelos. “É o caso da alopecia androgenética, doença caracterizada pela perda excessiva de cabelos ou calvície”, diz. Ela evolui ao longo dos anos e “pode acometer tanto homens quanto mulheres, e está relacionada ao efeito dos hormônios andrógenos nos folículos pilosos do couro cabeludo. Nas pessoas com predisposição genética para a doença, esses hormônios causam uma ‘miniaturização’ dos folículos pilosos, gerando a perda excessiva dos cabelos”, explica Dra. Joanne.
Segundo a especialista, a alopecia androgenética pode ser confundida com outras causas da perda de cabelos, como o eflúvio telógeno, no qual a queda é transitória e pode ser desencadeada pelo uso de alguns medicamentos, pós-parto, doenças da tireoide, infecções, nutrição inadequada ou até mesmo estresse intenso e prolongado, entre outros fatores. “As duas condições, isto é, a alopecia androgenética e o eflúvio telógeno, podem ocorrer em uma mesma pessoa ao mesmo tempo”, explica.
Diante disso, o tratamento da queda de cabelo deve ser direcionado para a sua causa. No eflúvio telógeno, devemos procurar corrigir os fatores que o desencadearam. Já na alopecia androgenética, o tratamento deve ser contínuo e inclui medicamentos de aplicação local (tópica) ou de uso oral, que visam estimular os folículos pilosos, capazes de produzir os fios, e inibir o efeito dos hormônios andrógenos no couro cabeludo, o que impede o avanço da doença. Em alguns casos, dependendo da gravidade da perda, é recomendado até o transplante capilar.
“O médico dermatologista é o profissional capacitado para fazer o diagnóstico das diversas causas de queda de cabelos, bem como para orientação, tratamento e acompanhamento”, finaliza a especialista.

Minicurrículo da especialista Joanne Elizabeth Ferraz da Costa:
Possui graduação em Medicina, residência médica em Dermatologia, além de Mestrado e Doutorado em Medicina Tropical. Possui título de especialista em Dermatologia emitido pela Associação Médica Brasileira e é associada titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Sobre o Unipê – Fundado em 1971, o Centro Universitário de João Pessoa – Unipê possui conceito 5 pelo MEC, conforme avaliação in loco de recredenciamento presencial e credenciamento EAD, sendo a única instituição privada do estado a conquistar este feito, solidificando-se entre as melhores do país. O Unipê é reconhecido pela sua contribuição para o desenvolvimento da Educação no Brasil e na Paraíba, tendo um forte tripé de ensino, pesquisa e extensão em sua comunidade. A Instituição oferta cursos de graduação, presenciais e a distância, e pós-graduação (lato stricto sensu) em diversas áreas do conhecimento e conta com mais de 15mil alunos. Integra o grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos mais representativos do País, com mais de 350 mil alunos, que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados, como Universidade Cruzeiro do Sul e Universidade Cidade de São Paulo – Unicid (São Paulo/SP), Universidade de Franca - Unifran (Franca/SP), Centro Universitário do Distrito Federal - UDF (Brasília/DF, Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio - Ceunsp (Itu e Salto/SP), Faculdade São Sebastião – FASS (São Sebastião/SP), Centro Universitário Módulo (Caraguatatuba/SP), Centro Universitário Cesuca (Cachoeirinha/RS), Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG (Bento Gonçalves e Caxias do Sul/RS), Centro Universitário de João Pessoa – Unipê (João Pessoa/PB), Centro Universitário Braz Cubas (Mogi das Cruzes/SP) e Universidade Positivo (Curitiba, Londrina e Ponta Grossa /PR), além de colégios de educação básica e ensino técnico. Visite: www.unipe.edu.br e conheça o Nosso Jeito de Ensinar. 
XCOM Agência de Comunicação Unipê

0 comentários:

Postar um comentário