Polícia Federal apreende 15 joias na casa da irmã de Adriana Ancelmo


Agentes da Polícia Federal no Rio de Janeiro apreenderam hoje (23) 15 joias no apartamento da irmã de Adriana Ancelmo como parte das investigações da Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro. A ação teve por finalidade de localizar 149 de um total de 189 joias adquiridas pelo casal Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo em joalherias da cidade para lavar dinheiro obtido por meio de corrupção.
Na denúncia apresentada à Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF), consta que o ex-governador Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo adquiriram pelo menos 189 joias desde o ano 2000, e apenas 40 foram apreendidas pela Polícia Federal a partir de mandados de busca e apreensão.
A própria irmã de Adriana, identificada como Nusia, recebeu os agentes federais em casa. De acordo com as investigações da Polícia Federal, as joias teriam sido dadas por Adriana Ancelmo a uma sobrinha, filha de Nusia. Do total de joias apreendidas estão cinco anéis, sete brincos, dois cordões e um colar de pérolas.
O outro endereço onde os agentes estiveram em busca de joias foi no apartamento da ex-governanta de Adriana Ancelmo, Gilda Maria de Souza Vieira da Silva. Na casa nenhuma joia foi localizada.
O procurador da República Sérgio Pinel explicou que o Ministério Público Federal (MPF) recebeu a informação no domingo (18) de que uma ex-funcionária de Cabral levou duas joias para avaliação em uma joalheria.
“Ela tinha intenção de vender essas joias e teria dito que recebeu as joias a título de pagamento. A partir daí foram feitas investigações que culminaram nas buscas realizadas hoje”, informou. “Temos as referências de grande parte das joias adquiridas e agora vamos pegar as joias localizadas hoje e verificar se tratam-se de algumas das quais temos referências”, acrescentou.

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil *

0 comentários :

Postar um comentário