Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 31 de agosto de 2014

Eurico chama goleada de "página mais vergonhosa" do Vasco

Eurico Miranda acompanha um dos jogos do Vasco nas arquibancadas de São Januário (Foto: Ruano Carneiro / Agif/Gazeta Press)
Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco da Gama - e que tentará voltar ao cargo nas próximas eleições, em novembro -, criticou com veemência o atual mandatário, Roberto Dinamite, os conselheiros, o candidato Julio Brant e a "oposição de araque" após a derrota de sábado para o Avaí, por 5 a 0, em São Januário.

Eurico isentou de culpa o técnico Adilson Batista, agora já fora do clube, e os jogadores, chamando-os de "vítimas do sistema nefastamente instalado e perpetuado por intermédio de uma ditadura envergonhada".

Ressaca
Um dia depois da goleada que culminou no pedido de demissão de Adilson, o elenco vascaíno treinou em São Januário. Sob o comando de Jorge Luiz, preparador físico, somente os que não estiveram em campo na derrota para o Avaí foram ao gramado. O restante do grupo ficou na academia para um trabalho regenerativo.

Ainda de "ressaca" por conta do péssimo resultado de sábado, Jorge Luiz ditou o ritmo do treino técnico em campo reduzido. Logo depois, o preparador físico do Vasco realizou um treino de finalizações e ensaiou algumas jogadas de bola parada. Titulares em campo, somente no fim do treino: Luan, Douglas Silva, Lorran, Dakson e Douglas deram voltas no gramado.

A diretoria do clube trabalha nos bastidores para contratar o substituto de Adilson Batista. A expectativa é de que um nome seja anunciado já nos próximos dias. Com o resultado negativo de sábado, o Vasco estacionou nos 32 pontos na Série B e deixou o G-4, ficando em quinto.

Na próxima rodada, no primeiro jogo do returno, o time encara o América-MG, no sábado, às 16h10. Antes disso, tem a partida da volta contra o ABC, pela Copa do Brasil, na terça, na Arena das Dunas.

Confira abaixo a nota na íntegra emitida por Eurico Miranda:
"VERGONHA E RESPONSABILIDADE

O Vasco acaba de escrever a página mais vergonhosa de sua história no futebol: foi goleado por 5 x 0 em casa, na série B, por um time de Série B.

A ´façanha´ é obra não de jogadores e treinador, que não passam de vítimas do sistema nefastamente instalado e perpetuado por intermédio de uma ditadura envergonhada. A ´façanha´ se deve a Dinamite, seus conselheiros do MUV, os penduricalhos liderados por Leonardo Gonçalves, integrantes da oposição de araque, e pelos adeptos da candidatura de Julio Brant, paraquedista a serviço deste verdadeiro período de trevas. Todos pactuados na mesma intenção por serem partidários da mesma causa: o Vasco de segunda linha, de segunda importância, de segunda divisão.

São eles os verdadeiros responsáveis por induzir a Justiça a erro a fim de se perpetuarem em seus cargos defendendo interesses de ordem pessoal. São eles que se negam a aceitar o encerramento de seus mandatos expirados, não prorrogados por decisão do Conselho Deliberativo e mantidos, apenas, pelo drible que tentam dar no Poder Judiciário. São eles os causadores do caos.

Neste sentido, os vascaínos precisam se conscientizar que não há mudança sem empenho, não há reversão de algo indesejável sem movimentação, não há revolução sem revolta. É preciso se indignar, não contra meros resultados, mas contra este estado de coisas que já nos levou a dois rebaixamentos esportivos e a uma perda de espaço institucional gravíssima.

Não se pode mais aceitar que esteja à frente do clube gente ilegítima. Não se pode mais aceitar que esteja à frente do clube quem nos envergonha. Não se pode mais aceitar que estejam à frente do clube aventureiros e irresponsáveis. O Vasco precisa retomar o seu rumo e só poderá fazê-lo em paz, quando se livrar dos alienígenas que o ocupam indevidamente.

Fonte: Terra 

Polícia chama torcedora e novo suspeito de racismo a depor

Torcedora do Grêmio foi alvo de xingamentos nas redes sociais e apagou seus perfis (Foto: Instagram / Reprodução)
O racismo contra o goleiro do Santos, Aranha, teve um desdobramento neste sábado. Após o atleta registrar ocorrência em Porto Alegre, a jovem que aparece nas imagens da ESPN e mais um torcedor foram intimados a prestar esclarecimentos sobre o caso.

A torcedora foi previamente identificada graças a imagens do canal ESPN que mostram ela proferindo por duas vezes a palavra macaco em direção a Aranha. A jovem foi atacada e apagou suas redes sociais, foi removida de seu emprego e ainda teve sua residência apedrejada

Apesar de não ter sido encontrada em sua residência, ela foi intimada a prestar esclarecimentos como suspeita. Diretor das delegacias regionais de Porto Alegre, o delegado Cléber Ferreira, afirmou que a polícia buscou pela jovem em sua casa, mas não obteve sucesso.

Cléber reiterou que é necessário o comparecimento dos identificados à quarta delegacia e também destacou a demora das imagens para apuração do acontecimento. "É para os dois comparecerem na segunda. O que está demorando um pouco é a chegada das imagens no estádio. Precisamos estar em posse do material para ouvir as pessoas", explicou o delegado, que não divulgou o nome do segundo torcedor identificado.

No entanto, o responsável pela investigação, Lindomar Souza, não acredita que a suspeita esteja foragida. Para o investigador a jovem se apresentará normalmente para prestar depoimento na segunda-feira.

"Ela deve ter se recolhido com familiares e provavelmente vai aparecer com advogado. Ela não está foragida, nada disso. Apenas envolvida numa suspeita de praticar um crime de injúria racial. Não acreditamos que possa fugir. Ela vai aparecer", disse o responsável pela investigação, Lindomar Souza em entrevista ao Zero Hora.

Após os incidentes, o Grêmio fez intervenções demonstrando não compactuar com as atitudes de sua torcida. O clube identificou dez torcedores envolvidos e excluiu duas pessoas de seu quadro de sócios.

Além disso, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acolheu o pedido da procuradoria de Justiça Desportiva e suspendeu a partida de volta entre Santos e Grêmio. O jogo será disputado somente após o julgamento do caso.

Fonte: Terra 

Sport ganha do Criciúma em casa e sonha com Libertadores

Neto Baiano comemora o primeiro gol do Sport. (Foto: Aldo Carneiro Costa / Gazeta Press )
Goleado pelo Fluminense no último fim de semana, o Sport se recuperou neste domingo no Campeonato Brasileiro. Jogando na Ilha do Retiro, a equipe comandada pelo técnico Eduardo Baptista derrotou o Criciúma por 2 a 0, em partida válida pela 18ª rodada da competição nacional. Neto Baiano e Danilo, nos primeiros minutos do segundo tempo, garantiram os três pontos aos pernambucanos.

Com a vitória, o time rubro-negro subiu para 28 pontos e se aproximou do G-4 - o primeiro time na zona de classificação para a Libertadores é o Corinthians, que tem 32. Já o Criciúma permaneceu na zona de rebaixamento, com 17 pontos.

O Sport volta a campo nesta quarta-feira, quando tenta, no Barradão, reverter a derrota por 1 a 0 sofrida em casa contra o Vitória, pela segunda fase da Copa Sul-Americana. No dia seguinte, o Criciúma enfrenta o São Paulo, no Morumbi, também pelo jogo de volta da segunda fase da competição internacional (o primeiro jogo foi vencido por 2 a 1 pelos catarinenses).

O Criciúma foi para o intervalo do jogo com a sensação de que poderia ter aberto o placar na primeira etapa. Aos 45min, Cléber Santana recebeu na ponta esquerda, ajeitou a bola para o meio e finalizou - o chute passou perto da trave esquerda de Magrão. Como o árbitro viu um desvio da defesa rubro-negra no lance, o time catarinense teve escanteio para cobrar, e acertou a trave novamente: com Fábio Ferreira, de cabeça.

O gol, que teimou em não sair no primeiro tempo, foi marcado logo aos 5min da segunda etapa - mas pelo Sport. Patric cobrou falta na área, Rithely desviou de cabeça e Luiz espalmou. No rebote, Neto Baiano, livre, só empurrou para o fundo das redes e quebrou jejum de oito jogos sem marcar.

Dois minutos mais tarde, o Sport ampliou. Em rápido contra-ataque, Felipe Azevedo tocou na medida para Danilo, que entrou na área e finalizou com força na saída do goleiro Luiz, dando números finais ao marcador.

Fonte: Terra

Carro e caminhão batem de frente na BR-226, no RN; dois morrem na hora

Acidente envolveu um Corsa e um caminhão Mercedes, que colidiram frontalmente. (Foto: Jaime Júnior)
Dois homens morreram na manhã deste domingo (31) vítimas de um acidente de veículos na BR-226, a aproximadamente 9 quilômetros da cidade de Currais Novos, na região Seridó do Rio Grande do Norte. Segundo a Polícia Militar, morreram na hora o comerciante Hilton Bezerra Guilherme, de 44 anos, e o ajudante dele, identificado apenas como Juninho. Os dois estavam em um Corsa que colidiu de frente com um caminhão Mercedes Bens. O motorista do caminhão fugiu. 

Segundo o soldado da PM Jaime Júnior, o acidente aconteceu por volta das 9h, num trecho da rodovia que liga a cidade de Currais Novos ao município de São Vicente. “O caminhão tem placas de Carnaúba dos Dantas, mas ainda não identificamos quem é o motorista. Ele se evadiu do local”, confirmou o policial. Um passageiro do caminhão foi socorrido para o hospital com ferimentos leves.

“Fomos informados por pessoas que trafegavam pelo local no momento do acidente que o Corsa sobrou na curva e bateu de frente com o caminhão. O comerciante havia arrendando uma cerâmica, aqui em Currais Novos, e estava retornando para Assu, onde teria ido pegar material para os funcionários”, acrescentou J. Júnior.

Equipes de resgate do Corpo de Bombeiros, do Grupo Tático Operacional e do 2º Grupamento de Policiamento Rodoviário Estadual foram acionados para fazer o isolamento e retirada dos corpos, que ficaram presos às ferragens.

Acidente envolveu um Corsa e um caminhão Mercedes, que colidiram frontalmente. (Foto: Jaime Júnior)

Fonte: G1 RN

Pesquisa mostra que 65% dos pacientes com câncer continuam fumando

Maioria dos fumantes não consegue largar o cigarro, mesmo após receber diagnóstico de doença. (Foto: Arquivo/Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Levantamento feito pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) com pacientes da instituição mostra que 65% dos pacientes fumantes não conseguem largar o cigarro mesmo após receber o diagnóstico da doença. O coordenador de Apoio ao Tabagista do instituto, Frederico Fernandes, disse que o resultado da pesquisa foi surpreendente. “Nós imaginávamos, justamente, que uma pessoa que fumasse, na hora de receber o diagnóstico de câncer ficasse motivada a parar, pelo fato de ter desenvolvido uma doença relacionada ao tabagismo”, ressaltou em entrevista à Agência Brasil.

Segundo o médico, apesar da vontade dos pacientes de largar o tabaco, o vício é muito forte. “Quando a gente conversa com esses pacientes, vemos que eles têm vontade, estão motivados, mas, pelo fato de ter um nível alto de dependência da nicotina, não conseguem parar ou reduzir”, contou.

A situação se agrava, de acordo com Fernandes, pelo fato de o cigarro ser uma válvula de escape de grande parte dessas pessoas ao lidar com situações difíceis. “E, muitas vezes, quando a pessoa recebe um diagnóstico como esse, acentua os traços de ansiedade. Com isso, ela acaba não conseguindo largar o cigarro por não conseguir canalizar a ansiedade contra a doença em outra coisa”, explica o médico.

Além de ser um fator que contribui para o surgimento do câncer, Fernandes destaca que o cigarro pode atrapalhar o tratamento. “Alguns tipos de quimioterapia têm menor eficácia quando a pessoa continua fumando e recebendo o tratamento”, enfatiza. Fumar também interfere na cicatrização e recuperação de cirurgias. “Se uma pessoa é submetida a uma cirurgia, parando de fumar ela tem uma cicatrização melhor e um pós-operatório menos complicado”, acrescenta.

Há ainda, segundo o médico, o problema da fragilização do sistema respiratório. “Uma das principais complicações que ocorrem no tratamento de câncer são as infecções respiratórias. E a pessoa que fuma tem chance maior de contrair uma infecção durante o tratamento do câncer”.

Por isso, o Icesp montou uma equipe para apoiar os pacientes que querem deixar o cigarro. “Nós temos uma equipe multiprofissional, composta por psicólogos, enfermeiros, nutricionistas e médicos, que vai dar um tratamento baseado tanto em medidas comportamentais, quanto em medicações, para tentar diminuir o vício”, detalha Fernandes.

Uma das principais linhas de atuação do grupo é, justamente, ajudar os fumantes a lidar com a ansiedade sem o tabaco. “Ensinar como lidar com as situações de problema, com o stress do dia a dia, sem precisar recorrer ao cigarro, coisa que muitos deles estão acostumados a recorrer desde a adolescência”, explica o médico.

Fonte: Agência Brasil

Pai diz que tirou menino com tumor de hospital atrás de novo tratamento

Irmão publicou explicação sobre a retirada de Ashya do hospital. (Foto: Reprodução/YouTube/Naveed King)
O menino britânico com câncer retirado do hospital sem a autorização dos médicos estava hospitalizado na Espanha neste domingo (31), enquanto seus pais, detidos, se defendem e afirmam que queriam buscar um tratamento que não existe na Grã-Bretanha. Testemunhas de Jeová confirmaram que a família pertence à congregação, que repudia transfusões de sangue, mas admite outros tratamentos. O casal era procurado pela Interpol desde a última sexta-feira (29).

Os pais de Ashya King, de cinco anos, comparecerão perante um juiz de Madri na segunda-feira, depois de terem sido detidos no sul da Espanha, informou a polícia neste domingo. "Os pais estão em dependências policiais à espera de passar a disposição da Audiência Nacional", um tribunal de Madri, declarou à AFP um porta-voz da polícia nacional.

A polícia dispõe de 72 horas a partir de sua detenção, anunciada no sábado pouco depois das 18h (de Brasília), para que os pais passem a disposição policial. "O menino está recebendo assistência médica, os pais estão detidos e os outros irmãos estão com os que são maiores de idade", indicou o porta-voz, que não revelou onde estes últimos estavam.

Uma funcionária do Hostal Esperanza da cidade de Benajarafe, a menos de 30 km de Málaga, no sul da Espanha, foi quem avisou a polícia que a família estava hospedada ali, indicou neste domingo à AFP outra funcionária, que não quis se identificar.

"Foi minha colega quem avisou a polícia", declarou por telefone. "Viu no jornal on-line", acrescentou, referindo-se à mensagem da polícia espanhola que anunciava no sábado a busca desta família do Reino Unido.

Procurados

As autoridades da Grã-Bretanha, da França e da Espanha buscavam há dois dias Ashya, retirado por seus pais na quinta-feira do hospital de Southampton, no sul da Inglaterra, no qual estava internado, contra a opinião dos médicos.

Para as autoridades britânicas, era vital encontrar o menino, que se desloca em cadeira de rodas e não pode se comunicar. A vida de Ashya, operado pela última vez há sete dias, depende de uma sonda nasogástrica que permite que ele se alimente. As autoridades temiam que a bateria do aparelho acabasse no sábado.

Vídeo

"Como podem ver, não tem nenhum problema, está muito feliz desde que o tiramos do hospital", afirmou o pai, Brett King, de 51 anos, em um vídeo publicado no sábado no YouTube, na internet, por um dos irmãos de Ashya.

Nas imagens é possível ver o menino, com a sonda, nos braços do pai, que afirma tê-lo tirado do hospital para buscar um tratamento que o serviço público de saúde britânico NHS não oferece no momento. "Sorri muito, interage conosco, e queria dizer a razão pela qual o tiramos do hospital", disse Brett King no vídeo.

Ele explicou que buscavam no exterior um tratamento de radioterapia que utiliza prótons e que o serviço público britânico NHS não oferece, segundo ele. "Estamos profundamente comovidos ao descobrir hoje que seu rosto está por toda parte na internet e nos jornais e que fomos qualificados de sequestradores, suspeitos de colocar sua vida em risco e de negligência", declarou.

"Fala-se muito deste aparelho e, como você pode ver, está conectado", acrescentou mostrando a sonda. A Interpol havia divulgado na sexta-feira um alerta mundial aos seus 190 países membros.

Assista o vídeo abaixo:




Fonte: G1, com informações da France Presse

Mulher que mandou cortar pênis de ex-noivo está de volta ao trabalho

Médica estava morando no interior de São Paulo. (Foto: Reprodução/Facebook)
Há cerca de dois meses a médica Myriam Priscilla de Rezende Castro, 34, presa desde abril na penitenciária Estevão Pinto, está trabalhando na região metropolitana de Belo Horizonte. Ela foi condenada a seis anos de prisão em regime semiaberto.

De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), este tipo de regime permite ao preso passar o dia fora da prisão, e retornar a noite.

O órgão não informou em qual hospital ela está trabalhando, mas a especialidade da médica é urologia. A mulher ficou conhecida quando o caso em que mandou cortar o pênis do ex-noivo veio à tona, anos depois do crime, ocorrido em 2002. Ela foi condenada a seis anos de prisão e passou a cumprir apena somente no dia 2 de abril deste ano.

Quando o noivo de Myriam terminou o relacionamento com ela, três dias antes do casamento, a mulher decidiu se vingar do homem com a ajuda do pai. Antes disso, ela o ameaçou queimando a casa e o carro dele.

Dois homens imobilizaram a vítima no apartamento dela e cortaram o pênis do ex-noivo da mulher com uma faca. Após o crime, Myriam continuou trabalhando normalmente como clínica geral até o fim do ano passado.

Fonte: O Tempo

Silvio Santos insinua que ex-panicat é travesti: ´Que voz grossa!´

Dani Bolina e Silvio Santos em gravação do programa que o SBT exibe no próximo domingo. (Foto: Roberto Nemanis/SBT)
Silvio Santos insinuará que a ex-panicat Dani Bolina é do sexo masculino no programa do próximo domingo (31). No Jogo das Três Pistas, um dos principais quadros do Programa Silvio Santos, o dono do SBT falará que a modelo tem a voz grossa, tal qual a de um "sargento de Polícia Montada", como ele costuma se referir ao travestis que frequentam seu auditório.

“Você viu a voz dela? Que voz grossa, deve ser também um sargento da polícia montada do Canadá. É sua voz mesmo? Você é cantora?”. A modelo, que é contratada do SBT (participa do Programa Raul Gil) responderá: “É minha mesmo”.

Silvio então fará a pergunta indiscreta “Mas você é mulher mesmo?”, e Dani receberá a brincadeira com bom humor: “Sou (risos), sou mulher mesmo. Mulher de verdade”.

Em seguida, o dono do SBT questionará se a ex-panicat é “periguete, coroguete ou medianguete”. Dani dirá que é “medianguete” e Silvio explicará os termos: “Eu vi no dicionário. Periguete: moça bonita. Medianguete: moça bonita de pouca idade. Coroguete: não tem escapatória”.

Mari Alexandre e Silvio comentam férias de Gugu

A ausência de Gugu da televisão também será comentada por Silvio, mas com a atriz Mari Alexandre. “Mas cadê o Gugu? Ah, ele está de férias”, dirá Silvio. A ex-mulher de Fábio Jr. completará: “Férias longas, né? Ele pode”. Gugu está há um ano e dois meses fora do ar e só deve voltar à Record no início de 2015.

Silvio também dirá que pretende chamar Mari para fazer parte do elenco do SBT. “Você já está contratada pelo SBT?”, perguntará. A atriz dirá “ainda não” e ouvirá que “será contratada, logo, logo”.

Fonte: Notícias da TV

Uso exagerado das ´telinhas´ pode insensibilizar crianças

Psicólogos afirmam que o efeito da mídia digital pode ser muito mais danoso que se imagina. (Foto: BBCBrasil.com)
Um estudo da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, indica que o uso exagerado de equipamentos digitais pode atrapalhar a capacidade de crianças em reconhecer emoções de outras pessoas

Pesquisadores do departamento de psicologia observaram 105 alunos de 11 e 12 anos, divididos em dois grupos, e perceberam que depois de cinco dias sem acesso às telas de celulares, TABLETS ou televisores, eles passaram a identificar emoções muito melhor.

No estudo publicado na revista especializada Computers in Human Behaviour os psicólogos afirmam que o efeito da mídia digital pode ser muito mais danoso que se imagina.

"Muitos olham para os benefícios da mídia digital na educação, mas não há muitos que estudam o custo disso", afirmou uma das autoras da pesquisa, Patricia Greenfield.

"Sensibilidade reduzida diante de sinais emocionais, ou uma certa perda da capacidade de entender as emoções dos outros, é um deles", disse.

Ela diz ainda que a troca da interação interpessoal pela interação via telas parece estar reduzindo o "traquejo social".

Os alunos da rede pública californiana foram separados em dois grupos: 51 passaram cinco dias no Instituto Pali, um acampamento para ciência e natureza cerca de 110km a leste de Los Angeles, enquanto os outros 54 continuaram em sua escola em Los Angeles (eles também passaram cinco dias no acampamento depois do estudo).

O acampamento não permite o uso de equipamentos eletrônicos, o que muitos alunos acharam difícil nos primeiros dias. No entanto, a maioria se adaptou à situação rapidamente.

No início do estudo, ambos os grupos tiveram avaliada a capacidade de reconhecer emoções em outras pessoas através de fotos e vídeos.

Depois de cinco dias no Instituto Pali, os 51 alunos apresentaram uma melhora significativa nesta capacidade.

Já os que continuaram imersos nas "telinhas" não tiveram grande melhora.

"Não se pode aprender a ler sinais não-verbais a partir de uma tela da mesma forma que se aprende na comunicação cara a cara. Sem essa prática, perde-se importantes habilidades sociais", disse outra autora do estudo, Yalda Uhls.

O conselheiro do governo britânico para questões de infância, Reg Bailey, também recentemente criticou o uso excessivo de equipamentos eletrônicos.

Para ele, os pais estão deixando as "telas assumirem o controle" e recomendou que as famílias passassem mais tempo conversando.

Bailey afirmou que as famílias deveriam considerar "refeições sem-telinhas" para estimular o contato pessoal.

Fonte: Terra, com BBC Brasil

Carne de cachorro perde espaço na Coreia devido a rejeição de jovens

Funcionária mostra prato com carne de cachorro do restaurante Daegyo. (Foto: Lee Jin-man/AP)
Por mais de 30 anos, a chef e dona de restaurante Oh Keum-il se tornou especialista em cozinhar uma das iguarias tradicionais na Coreia do Sul: carne de cachorro. Aos 20 anos, ela viajou pelo país e aprendeu receitas regionais com o ingrediente. Depois, montou um restaurante com esses pratos no cardápio, além de adaptações de refeições famosas trocando a carne de boi pela de cachorro.

 Mas a experiência com esse ingrediente consumido há séculos na Coreia acaba de virar história. Daegyo, o famoso restaurante que ela abriu em Seul em 1981, serviu seu último ensopado de cachorro nesta sexta-feira (29). O fim do estabelecimento é um reflexo dos desafios enfrentados por um tipo de negócio que não é nem legal nem explicitamente proibido pelas leis da Coreia do Sul.

As visões opostas sobre os cães como alimento e como animais de estimação coexistiram na história recente do país, alimentando uma controvérsia que se tornou mais incensada neste verão.

Defensores dos direitos dos animais protestam, conclamando as pessoas a não comerem o melhor amigo do homem. Os ativistas dizem também que alguns dos 2 milhões de cães que são consumidos na Coreia do Sul a cada ano sofrem dor e morte cruel.

 O fechamento do restaurante Daegyo, frequentado por dois ex-presidentes, mostra que a visão dos cães como animais de estimação está ganhando força entre os jovens sul-coreanos. Hoje em dia, esse tipo de carne está se tornando cada vez mais difícil de encontrar para vender e se tornou uma opção menos atrativa de jantar para os jovens sul-coreanos.

"Há uma diferença geracional. Não temos clientes jovens”, diz Oh, que planeja reabrir seu restaurante servindo churrasco coreano de carne de boi. Os jovens sul-coreanos cresceram assistindo a programas de TV sobre criar filhotes, o que reduziu o apetite pela carne de cão, diz a chef.

Seu restaurante costumava servir 700 ensopados de cachorro por dia nos anos 1980. Atualmente, passou a servir menos da metade disso.

Tabu

A chef Oh Keum-il, dona do restaurante Daegyo, mostra como cozinhar carne de cachorro; estabelecimento que existe desde a década de 1980 vai fechar. (Foto: Lee Jin-man/AP)

Mesmo os jovens que comem carne de cachorro acabam não falando sobre isso abertamente, de acordo com Moon Jaesuk, pesquisador de 32 anos que gostava de comer esse ingrediente antes de se mudar para Seul. “Não é fácil falar sobre comer carne de cão no meio de muita gente. É como fazer uma piada sexual”, compara.

 Enquanto isso, o Instituto de Pesquisas Econômicas Nonghyup prevê que o mercado pet na Coreia do Sul movimente o equivalente a US$ 5,9 bilhões em 2020. Segundo a instituição, um em cada cinco casas sul-coreanas tem um cachorro ou um gato de estimação.

Não há dados oficiais sobre a indústria de carne de cachorro, mas as pessoas que criam cães para vender sua carne afirmam que o consumo está em declínio. O açougueiro Shin Jang-gun afirma que o número de pedidos se reduziu à metade do que era. Ele mantém uma lista de cerca de 700 a 800 restaurantes em Seul, alguns clientes atuais e outros potenciais, e acredita que a lista tivesse 1.500.

O pai de Shin vendeu apenas carne de cachorro por várias décadas. Depois que ele herdou o açougue, em 2002, passou a trabalhar também com carne de cabra para compensar o declínio nas vendas da carne de cão. “Essa indústria não tem futuro a longo prazo. As novas gerações não comem com frequência”, diz Shin.

As diferentes percepções sobre os cães se tornam até motivo de tensão familiar. Kim Dongyoung, de 30 anos, diz que tem grandes discussões com seu avô sobre seu cão de estimação. “Sempre que ele vê meu cachorro em casa, ele diz que é do tamanho de um prato de sopa”, afirma Kim. Recentemente ela desistiu de comprar um apartamento quando descobriu que ficava no mesmo prédio de um restaurante que serve ensopado de cachorro.

Choi Young-im, secretário geral de um associação de criadores de cães, afirma que a carne de cachorro, que era a mais popular depois das de boi, porco e frango, foi ultrapassada pela carne de pato. Ele estima que sejam consumidos entre 2 e 2,5 milhões de cachorros na Coreia do Sul a cada ano.

Fonte: G1, com Associated Press

Consema aprova criação do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola, em reunião realizada na Univasf


A criação do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola foi aprovada sexta-feira (29), durante a 77ª Reunião Ordinária do Conselho de Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (Consema), realizada na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Petrolina (PE). A proposta foi aprovada com 27 votos a favor, dois contra e uma abstenção. A reunião aconteceu na Sala do Conselho Universitário (Conuni) da Univasf, no prédio da Reitoria, Campus Petrolina Centro, e contou com a participação de 30 instituições representantes do Consema. Também estiveram presentes o reitor Julianeli Tolentino de Lima, o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado de Pernambuco e presidente do Consema, Carlos Cavalcanti; o secretário-executivo de Meio Ambiente, Hélvio Polito; o diretor presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Paulo Gurgel; e o diretor presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) de Petrolina, Gleidson Castro. 
O Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola será implantado numa área de 110 mil hectares, pertencentes aos municípios de Santa Maria da Boa Vista, Lagoa Grande e Petrolina e deverá ser a maior Unidade de Conservação (UC) de todo o Estado. A proposta de criação da UC Tatu-Bola está disponível no site da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). “Foi um resultado consistente. Os conselheiros puderam fazer reflexões sobre o que o Refúgio de Vida Silvestre poderá fazer pela região. Iremos trabalhar agora na regulamentação do Refúgio, o que vai dar mais segurança ao desenvolvimento do projeto. E a parceria com a Univasf é fundamental”, afirmou o secretário Carlos Cavalcanti. 
Para o coordenador do Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas (Crad) da Univasf, professor José Alves de Siqueira, um dos mentores do projeto de criação da unidade de conservação, a aprovação da proposta tem significado histórico. “Estamos contribuindo para transformar a realidade de desmatamento, degradação ambiental e miséria da população que vive na área do Refúgio. Com o projeto, vamos poder compatibilizar as atividades econômicas desenvolvidas naquela região, como a agricultura e a pecuária, transformando-as em atividades sustentáveis. E nossos estudantes vão ter uma formação contextualizada, porque terão um laboratório rico em biodiversidade, onde poderão colocar em prática seus projetos de pesquisa”, comemora. 
O reitor Julianeli Tolentino de Lima, ainda durante a abertura do evento pela manhã, ressaltou a importância do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola para a Univasf. “Abraçamos a causa desde o início das provocações dos professores José Alves e René Cordeiro, pois percebemos que era necessária a inserção da universidade não somente para proteger o Tatu-Bola, mas toda a biodiversidade”, afirmou. A aprovação da proposta, na avaliação dele, proporciona à Univasf e às instituições de ensino superior e aos centros de pesquisa a oportunidade de contar com um laboratório vivo para o desenvolvimento de pesquisas e projetos de extensão. “Vamos trabalhar em conjunto para potencializar o desenvolvimento socioeconômico dessa região de maneira sustentável, ao mesmo tempo em que beneficiamos os nossos estudantes com uma área de grande riqueza natural, visando também à produção de conhecimento científico”, observou. 
Os próximos passos do processo de criação da UC incluem a elaboração do Memorial Descritivo do perímetro do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola e da minuta do Decreto, que será encaminhada à sanção do governador do Estado de Pernambuco, João Soares Lyra Neto. Após a assinatura do governador, o Decreto será publicado no Diário Oficial do Estado de Pernambuco, formalizando a criação do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola. 

Renata Freitas 
Ascom Univasf

´Muita raridade junta´, diz obstetra sobre parto de quadrigêmeas em MS

Médica Débora Faraco diz que nascimento de quadrigêmos é raro. (Foto: Reprodução/TV Morena)
A gestação de quadrigêmeas de Denir Campos, 37 anos, que acreditava estar grávida de apenas dois bebês, foi considerada por médicos situação rara por apresentar circunstâncias particulares. A idade da mãe, o tipo de fecundação, o peso das bebês, o parto normal e a quantidade de semanas foram alguns fatores apontados pela médica ginecologista e obstetra Débora Faraco Coelho, consultada pela reportagem.

Especialista em gestações de alto risco, Débora explicou que a formação de gestação espontânea de quadrigêmeos não é comum e geralmente acontece em casos de tratamento para engravidar. “Muita raridade junta. Essa mulher, com essa idade, engravidar sem tratamento de fertilização, de quadrigêmeas univitelinas [a partir de um único óvulo] representa um caso raríssimo. Em uma a cada 700 mil mulheres você consegue achar quadrigêmeos, pelos menos é isso que temos na literatura [médica]”, explicou.

A mulher, que é indígena da etnia terena e mora em um assentamento rural em Anastácio, teve as quatro gêmeas idênticas na última sexta-feira, em uma maternidade de Campo Grande. Segundo Denir, o ultrassom feito durante o pré-natal mostrava apenas dois fetos.

“Só fui saber da novidade na hora do parto, quando os médicos falaram que tinha mais um para nascer. Achei que eles estavam brincando, mas depois veio outra menina ainda", lembra Denir. A dona de casa disse ter ficado em estado de choque com a notícia.

Conforme a médica, casos de gêmeos, trigêmeos e quadrigêmeos são mais comuns em mulheres com idade mais avançada que fazem tratamento de fertilização. “É mais comum com a fertilização, quando aumenta em 15% a chance de gêmeos, mas com tratamento. E mesmo com fertilização, quadrigêmeos é mais comum em pacientes acima dos 40 anos, quando implantamos quatro óvulos”, ressaltou.

A médica explica que a idade da indígena pode ter influenciado para a ocorrência de divisão de óvulos, mas o fato de serem univitelinos, originários do mesmo óvulo, torna o caso ainda mais particular.

“Pela faixa etária, ela condiz com as estatísticas. Porque a mulher mais velha produz mais hormônio, o FSH, então, mesmo ela não tendo uma alteração familiar, um histórico familiar, ela às vezes consegue formar dois óvulos. Esses dois óvulos se dividem, sofrem uma nova divisão e fazem esse milagre”, afirmou.

Parto normal

Segundo a assistente social da maternidade Cândido Mariano, Taline Mara Bronze, as bebês nasceram de 31 semanas, de parto normal e dividiram a mesma placenta durante a gestação, fatos também considerados raros pela obstetra.

Marido e mulher ainda no hospital onde quadrigêmeas nasceram. (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

“Em geral, o máximo que você consegue levar gravidez de gêmeos é 36 semanas, mas quadrigêmeos a gente já pensa em 31 e 32 semanas ou a partir de 28 semanas. Para os bebês serem viáveis a gente calcula 800 a 900 gramas de cada um. Talvez por ser indígena, ela aguentou até o sétimo mês. Normalmente ela poderia ter complicações, infecções urinárias”, explicou Débora. Ela também afirmou que parto normal não é indicado nestes casos.

Outro fator que chamou a atenção da médica foi o peso das meninas. Elizabete, Eliza, Elizangela e Elizete nasceram com pesos entre 890 gramas e 1,170 quilo, e vieram ao mundo em um intervalo de 10 minutos. Logo depois do parto, as bebês foram levadas para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, onde devem ficar para ganhar peso nas próximas semanas. Conforme o hospital, não há previsão de alta para elas.

Surpresa no parto

A especialista ainda explica que a suspeita de gêmeos pode ter sido provocada por falhas no processo de pré-natal. A indígena disse que o ultrassom feito durante o acompanhamento gestacional mostrou apenas dois bebês.

“Essa surpresa [na quantidade de bebês] era comum quando não tinha ultrassom. Mas, dependendo dos métodos do pré-natal, dependendo do equipamento e do profissional que opera o exame, ainda hoje pode acontecer de não detectarem adequadamente antes os quadrigêmeos, daí o susto no parto”, alertou a médica.

Ajuda

Denir e o marido Odair Campos, 32 anos, têm outros 7 filhos. O casal foi transportado de ambulância de Anastácio para Campo Grande na noite de sexta-feira, quando ela começou a ter contrações. O marido teve medo de que o parto acontece na estrada.

Desde o nascimento das quadrigêmeas, a família recebe atendimento da Casa de Apoio à Mãe Gestante, administrada pela maternidade onde os bebês nasceram. Conforme a assistente social do local, Taline, o casal precisa de ajuda e doações para criar os filhos caçulas.

“É uma família bastante vulnerabilizada. Por isso, estamos pedindo para a população, para quem quiser e puder ajudar, que doe fraldas descartáveis tamanho RN (Recém-Nascido). Roupas e outras coisas não são prioridade agora porque eles nem usam, porque o tempo que ficarem na UTI só vão usar fraldas mesmo”, explicou.

As doações podem ser feitas diretamente na maternidade, localizada na avenida Marechal Deodoro, 2.644, no Centro.

Fonte: G1 MS