Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Menino de 2 anos é encontrado morto dentro de sofá na Grande BH

O corpo de um menino de 2 anos foi encontrado dentro de um sofá, no bairro Sol Nascente, em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, neste domingo (27). De acordo com a Polícia Militar (PM), a criança estava desparecida desde a quinta-feira (24).

Ainda segundo a PM, o corpo estava dentro do móvel na casa dos tios, que moram no mesmo terreno da família da vítima. A PM contou que eles estariam viajando e, quando chegaram, sentiram um cheiro estranho.

Em depoimento à polícia, a mãe disse que no domingo foi até a delegacia de desaparecidos, em Belo Horizonte, para pegar os folhetos com a foto da criança. Depois, foi para um hospital em Ibirité porque estava se sentindo mal, mas não detalhou que tipo de atendimento recebeu. Ao voltar para casa, dormiu.

Ainda no domingo, por volta das 22h, os tios do menino chegaram de viagem e acordaram os pais dele porque a fechadura da casa tinha sido trocada para que os bombeiros fizessem buscas na quinta-feira.

Como os pais da criança também não tinham as novas chaves, o tio da criança arrombou uma porta dos fundos para entrar. Ele e a mulher entraram e ela viu uma poça de um líquido vermelho debaixo do sofá e saiu correndo para chamar o marido, que entrou na sala e sentiu um cheiro estranho.

O móvel foi mexido de lugar e o corpo, descoberto. O sobrinho foi reconhecido por causa das roupas que ele usava. O pai da criança confirmou a mesma história contada pela mãe.

Os tios contaram que viajaram no dia do desaparecimento da criança por volta das 14h e ficaram no Norte de Minas até o domingo. Inclusive, teriam ficado sabendo sobre o sumiço da criança durante a viagem.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, por causa do estado de decomposição, não foi possível ver se havia marcas de violência pelo corpo, que foi removido para o Instituto Médico-Legal (IML) em Betim, na Grande BH.

A ocorrência foi encerrada na delegacia de plantão de Ibirité. Até a publicação desta reportagem, nenhum suspeito havia sido preso.

Fonte: G1

´Aborta missão. Foi todo mundo pego´, diz ativista em escuta

Sininho, após ser libertada, em debate com jornalistas e entidades dos direitos humanos. (Foto: Mauro Pimentel / Terra)
Investigação da polícia do Rio indica que o grupo de ativistas indiciados por planejar um ataque com molotovs no dia 13 de julho, na final da Copa do Mundo, próximo ao Maracanã, também detinham rojões recheados com pregos e ouriços - objetos de ferro com várias pontas. O Fantástico divulgou gravações telefônicas, feitas pela polícia com autorização da Justiça, dos manifestantes se organizando e dividindo funções.

A operação planejada para o dia da partida entre Alemanha e Argentina era chamada de "Junho Negro". De acordo com a investigação, explosivos seriam deixados numa praça movimentada, num bairro próximo ao Maracanã. O planejamento ocorreu ainda em agosto de 2013, dentro de uma barraca montada em frente à Câmara Municipal, quando os jovens decidiram que era preciso aumentar a violência nos protestos.

"Essa reunião foi quando se começou a falar em coisas mais agressivas... Rolou a coisa de quererem queimarem um ônibus ali na Rio Branco, isso aconteceu realmente. Isso foi até noticiado, queimaram até um ônibus da polícia", disse uma testemunha que não quis se identificar.

Segundo a polícia, foram mais de 30 depoimentos, milhares de horas de gravações feitas com a autorização da Justiça e sete meses de trabalho, que apontaram que na tal barraca estavam, entre outros, Elisa Quadros, a Sininho, Igor Mendes da Silva, Camila Aparecida Jourdan e Luiz Carlos Rendeiro Júnior, o Game Over. Eles estão entre os 23 indiciados que respondem por praticar e incitar atos violentos.

Segundo as investigações, o preparo envolvia a compra de rojões, a produção de coquetéis molotov e de outros tipos de explosivos, que deveriam ser atirados nos policiais. As ações violentas eram comentadas por telefone pelos próprios manifestantes. Os denunciados decidiram que era necessário esconder os explosivos em carros nas redondezas do Maracanã, para não correr o risco de serem pegos com os objetos nas mochilas.

A estratégia foi testada em protestos na praça Saens Peña, próximo ao estádio, nos dias de jogos de Copa. Em 28 de junho, Camila foi flagrada avisando um homem sobre a operação da polícia. "Aborta a missão, some da rua, some. Entendeu? Some. Foi todo mundo pego." Na casa dela, foram encontrados 20 rojões recheados com pregos e 178 ouriços.

O "Junho Negro" acabou sendo frustrado e os rumos tomados pelos líderes afastaram antigos aliados e despertaram a desconfiança, como mostra uma conversa entre um homem não identificado e a advogada Eloisa Samy, denunciada no processo. "Eu acho que já passou mais que da hora da gente começar a levantar boicote sim, começar a mostrar as verdades de quem a FIP de fato é. Porque eles estão levando a gente pro fundo do poço, Elô. Estou falando pro nosso meio, porque tem muitas pessoas ali, Elô, que estão sendo enganadas. Tem muitas pessoas de alma, de bom coração ali, que estão sendo enganadas, e aí, vão para Saens Peña da vida e levam porrada, isso é certo?"

O Fantástico procurou os citados na reportagem. O Instituto de Direitos Humanos, que representa Rebeca Martins de Souza e Luiz Carlos Rendeiro Júnior, o Game Over,  disse que eles não querem fazer declarações e só vão falar em juízo. A comissão da OAB que defende a advogada Eloisa Samy também afirmou que ela não quer falar. O advogado Marino D’icaray Júnior, que defende Camila Jourdan, Igor Mendes da Silva, Igor D’icaray e Elisa Quadros, a Sininho, não retornou as ligações. Também foram deixados recados no telefone da própria Sininho, mas ela não respondeu.

Fonte: Terra

Plataforma Miríada X, de cursos online, é lançada no Brasil

Plataforma Miríada X, de cursos online, é lançada no Brasil. (Foto: Universia/Divulgação)
Cursos de todas as áreas do conhecimento oferecidos por universidades renomadas estão a apenas um clique dos estudantes brasileiros. O Mooc, do inglês Massive Open Online Course (cursos online, abertos e gratuitos de instituições de ensino superior de todo o mundo), Miríada X foi lançado neste sábado (26) durante o III Encontro Internacional de Reitores, que acontece até terça-feira (29), no Rio de Janeiro. A plataforma oferece cursos com duração de quatro a 12 semanas em áreas como saúde, economia, artes e filosofia. Ao final do curso, o internauta recebe certificado da universidade.

Das 44 instituições que cadastradas para oferecer aulas no site, três são brasileiras: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). No entanto, ainda não há cursos em português disponíveis. A previsão é de que até o fim do ano uma universidade brasileira
ofereça aulas pelo site.

Pela semelhança com o português, os cursos em espanhol são opção para os que não quiserem esperar as aulas das universidades brasileiras. A plataforma, operada pela Telefónica e o Banco Santander em parceria com a Universia, já estava disponível, em fase de testes, desde 2013. Cerca de 750 mil estudantes estão inscritos no site (www.miriadax.net). Desses, mais de 100 mil já concluíram o curso.  "Esses cursos democratizam a educação, pois podem ser acessados por pessoas de qualquer local, idade e classe social", destacou o presidente do Santander, Emilio Botín.

Saiba Mais:

Cursos podem ser acessados pelo site www.miriadax.net.

Para se cadastrar, o estudante precisa informar nome, sobrenome e e-mail, além
de criar uma senha

As aulas são disponibilizados em espanhol. Cursos em português só devem ser
abertos no fim deste ano

Universidade Politécnica de Valência, Universidade Politécnica de Cartagena,
Universidade de Salamanca são algumas instituições que oferecem cursos pela
plataforma

Miríada X é a maior plataforma de cursos online gratuitos da Espanha e América
Latina

Outros Moocs, como Verduca e Coursersa, oferecem cursos gratuitos em português

Fonte: Diário de Pernambuco, com Universia, Miríada X e Verduca

Santander lamenta carta contra reeleição de Dilma e culpa analista

Sucesso de Dilma deteriora economia, diz Santander a clientes ricos (Foto: Reprodução)
Os presidentes do Banco Santander, Emilio Botín, e da Telefónica, César Alierta, reafirmaram neste domingo (27) sua aposta no Brasil e garantiram que continuarão a investir no país.

Botín ressaltou que o Banco Santander investiu US$ 27 bilhões no país e o classificou como "um objetivo prioritário" para sua empresa, que obtém no Brasil 20% de seu lucro total.

"Continuamos investindo e incentivando todo mundo para que invista no Brasil", afirmou Botín.

O presidente do Santander também falou sobre o relatório enviado na semana passada pelo banco a clientes no Brasil com renda superior a R$ 10 mil e que dizia que uma eventual reeleição da presidente Dilma Rousseff poderia ter efeitos negativos para a economia.

O Santander se desculpou pelo envio do relatório.

Botín esclareceu que o texto "não é do banco", mas de um analista que o elaborou e enviou "sem consultar" seus superiores, e declarou que a divisão brasileira do banco tomou "as medidas cabíveis", sem especificá-las.

Na mesma entrevista coletiva, o presidente da Telefónica, César Alierta, disse que o Brasil vai ter um "crescimento espetacular". "Os governantes deste país fizeram um trabalho espetacular; O Brasil passou a ser uma referência mundial; os brasileiros têm que estar orgulhosos", disse ele, ao apresentar a plataforma educativa MiríadaX, patrocinada pelas duas empresas.

Botín e Alierta disseram que estão "convencidos de que o futuro do Brasil é espetacular", e o presidente da Telefônica lembrou que as duas companhias decidiram investir no Brasil quando o clima econômico não era propício.

"Se há duas companhias que investiram no Brasil somos o Santander e a Telefônica. Investimos quando ninguém queria investir. Quando Lula (o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva) ganhou as eleições (em 2001) e todos queriam vender, e nós investimos", ressaltou Alierta.

Fonte: Folha.com

80% dos hospitais filantrópicos operam no vermelho

A Santa Casa de Misericórdia de São Paulo interrompeu no dia 22 de julho o atendimento de urgência e emergência em seu Hospital Central. De acordo com a instituição, o motivo é a falta de recursos para a aquisição de materiais e medicamentos (Foto: Vinícius Pereira/Folhapress)
O acúmulo de dívidas não é exclusividade da Santa Casa de São Paulo. Pelo menos 83% dos 2.100 hospitais filantrópicos brasileiros operam no vermelho, segundo estimativas da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB).

A dívida total das instituições já supera os R$ 17 bilhões, de acordo com José Luiz Spigolon, diretor-geral da CMB. Ele afirma que, mesmo com o aumento dos incentivos governamentais nos últimos anos, as unidades de saúde ainda não recebem o valor que gastam ao realizar procedimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

"Em média, a tabela SUS só cobre 60% do gasto real do procedimento", diz ele. "É verdade que temos incentivos governamentais. O problema é que os incentivos não estão disponíveis para todos os tipos de hospitais e, além disso, quando o hospital faz mais procedimentos do que o previsto em contrato, ele dificilmente recebe por eles", explica o diretor.

De acordo com Spigolon, isso acontece porque os hospitais filantrópicos ganham por produção, mas têm um número limite de procedimentos pelos quais são remunerados. Se realizam mais procedimentos do que o previsto, podem ficar sem pagamento porque os valores ultrapassam o teto de verbas do gestor público. "Em 2012, os governos deixaram de pagar R$ 334 milhões em internações", diz.

Aos 471 anos e com dívida de R$ 130 milhões, a Santa Casa de Santos, a mais antiga do País, é uma das filantrópicas que passam por crise. "A Santa Casa não tem de dar lucro, mas deve ter equilíbrio nas contas, coisa praticamente impossível com a tabela SUS", diz a diretora financeira, Miriam Cajazeira Diniz, que, junto com o provedor Félix Alberto Ballerini, está disposta a mudar o perfil das finanças da instituição.

Dona de um patrimônio de R$ 534 milhões, a instituição já prepara a venda de imóveis e pretende reivindicar uma linha de crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com prazo de pelo menos dez anos para pagamento.

Para Spigolon, a solução para o endividamento dos filantrópicos passa por mudanças na gestão das entidades e aumento dos repasses. "Tem de acabar com o subfinanciamento. É preciso que o projeto de lei que prevê uso de 10% da receita bruta do País para a saúde seja aprovado. Com isso, o orçamento da saúde ficaria 30% maior", diz.

No aspecto da gestão, ele diz que as entidades "devem entender" que nem sempre é possível que o atendimento seja totalmente público. "É preciso separar leitos para planos de saúde porque é o que vai ajudar a garantir as finanças." As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Fonte: Estadão Conteúdo

PM encontra namorados que sumiram e enviaram carta de adeus

Adolescentes de 14 anos saíram de casa em Guarulhos e foram encontrados no bairro da Saúde, em São Paulo (Foto: Arquivo Pessoal/Cristiane dos Santos)
A Polícia Militar encontrou um casal de namorados que estava desaparecido na região da Saúde, zona Sul da capital paulista. Os adolescentes de 14 anos foram encontrados no início da noite deste domingo, em um beco do bairro.

Os dois estavam desaparecidos desde a última quarta-feira, quando deixaram suas casas em Guarulhos, na Grande São Paulo. Na ocasião, a garota chegou a deixar uma carta de despedida aos pais, dizendo que precisava de mais liberdade.

A principal suspeita é de que os jovens pudessem estar em alguma praia, já que amigos do casal informaram à polícia que o garoto havia comprado uma barraca de acampamento e estava procurando por praias.

O casal foi abrigado por moradores da região por conta do frio. Os pais dos adolescentes foram encontrá-los no local.

Fonte: Band.com

Boato sobre aposentadoria de Silvio Santos causa alvoroço no SBT

Apresentador estaria disposto a deixar o palco em dezembro. (Foto: Divulgação)
Conhecido por ser o local onde as principais notícias sobre Silvio Santos - e algumas negociações do SBT - surgem, o salão de beleza de Jassa, em São Paulo, foi o ‘causador’ de uma mais nova polêmica.

Acontece que um dos frequentadores do local garantiu que ouviu o dono do SBT anunciar sua aposentadoria para dezembro desde ano, por conta de seu aniversário, segundo a coluna do jornalista Flávio Ricco.

Há quem diga que tudo não passa mesmo de um boato para chamar atenção. No entanto, o assunto já chegou aos corredores da emissora e tem causado um verdadeiro alvoroço por lá.

Fonte: Msn Entretenimento

Homem morre após ser atingido por avião em praia dos EUA

Pai e filha foram atingidos por avião durante pouso de emergência em praia da Flórida. (Foto: Sarasota County Sheriff´s Office / AP)
Um homem morreu e uma menina de nove anos, filha da vítima, ficou ferida nesse domingo após serem atingidos por um avião durante um pouso de emergência em uma praia da Flórida, nos Estados Unidos, de acordo com informações da agência AP.

Wendy Rose, porta-voz do escritório do xerife do condado de Sarasota, afirmou que o piloto e o passageiro da aeronave, um modelo Piper Cherokee, não ficaram feridos. Pai e filha caminhavam pela praia quando foram atingidos pelo avião, que teve uma falha mecânica e perdeu potência.

Segundo Rose, o aeroporto da cidade de Venice recebeu um chamado de emergência do piloto. “Eles (aeroporto) foram contatados por um piloto cujo avião estava com problema. Ele sabia que não conseguiria voltar ao aeroporto e iria tentar pousar na areia da praia”, explicou.

A menina foi transportada para um hospital infantil da região, e se encontrava em situação crítica, afirmou Wendy Rose. As vítimas, Ommy Irizarry, 36 anos, e Oceana Irizarry, 9, eram do Estado vizinho da Georgia. Já o piloto e o passageiro, Karl Kokomoor, 57, e David Theen, 60, respectivamente, são moradores da Flórida.

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês) informou que está investigando o ocorrido. Investigadores do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes também foram enviados ao local para tentar determinar a causa do acidente.

Fonte: Terra

´Menos dois´, diz PM acusado de executar menor de idade no Rio

Fantástico mostrou momentos inéditos do vídeo que levou para a cadeia o cabo Fábio Magalhães e o cabo Vinicius Lima, da PM do Rio. (Foto: Reprodução/Fantástico/TV Globo)
O Fantástico mostrou trechos inéditos do vídeo que incriminou dois PMs, acusados de executar um adolescente, no Rio de Janeiro.

Cabo Lima: Tem que matar os três.
Cabo Lima: Tô ouvindo nada.
Cabo Lima: Pô, mas o seu foi muito perto!
Cabo Magalhães: Quando eu vi que tu botou ele assim e tirou a mão, falei toma. Toma que é de graça. Não vai ter como fazer balística nem nada. Perdeu tudo no mato.

O Fantástico mostra momentos inéditos do vídeo que levou para a cadeia o cabo Fábio Magalhães e o cabo Vinicius Lima, da PM do Rio. Eles são acusados de executar o menor Matheus Alves dos Santos, de 14 anos, no dia 11 de junho.

O diálogo entre os policiais foi captado por câmeras instaladas na viatura e exibido com exclusividade pelo Fantástico, domingo passado (20).

As imagens mostravam a conversa entre Fábio e Vinícius depois de capturar três adolescentes suspeitos de cometer furtos. Eles levaram os jovens até o Morro do Sumaré, um lugar isolado, de difícil acesso. Segundo a investigação, foi lá que eles atiraram em dois dos três garotos.

Neste novo trecho do vídeo, sozinhos no carro, os policiais dizem:
Cabo Lima: Menos dois.
Cabo Lima: Menos dois. Se a gente fizer isso toda semana dá pra ir diminuindo.
Cabo Lima: A gente bate meta.

Para a promotora Carmen Eliza Bastos de Carvalho, que acompanha o caso, não resta dúvida:
“As imagens já evidenciam ali a execução. Embora no momento exato dos disparos, nós não tenhamos essa filmagem porque, segundo as explicações oficiais, a filmagem não teria acontecido porque o carro estava desligado naquele momento. Ela mostra o antes e o depois do crime”.

O vídeo foi interrompido por cerca de dez minutos durante a ação. Nesse intervalo, de acordo com o inquérito, Matheus foi assassinado pelos policiais. O segundo garoto baleado pelos PMs sobreviveu e testemunhou contra eles. O terceiro menor tinha sido liberado antes pelos PMs, mas esta semana disse à polícia que ouviu disparos quando descia o morro.

Na semana passada, o corregedor da PM, coronel Sidney Camargo, disse que a falta desse momento específico do vídeo, o da suposta execução, dificultou a investigação. “Nós não temos condição de dizer o que efetivamente eles fizeram e como eles fizeram”, afirmou o corregedor.

“Quando desliga a viatura esse equipamento desliga também por um tempo, voltando a ser ligado, a câmera filma, depois que a viatura liga”, explicou o relações públicas da PM, Cláudio Costa.

A empresa responsável pelo sistema afirmou em nota que é impossível editar ou manipular as imagens.

Na última sexta-feira (25), o carro usado pelos PMs apareceu depenado no pátio da Delegacia de Homicídios. O Ministério Público quer saber de onde partiu a ordem. “Eu fiquei chocada porque essa viatura é uma prova importante nos autos e totalmente descaracterizada”, disse a promotora.

O HD com as imagens, porém, foi preservado e entregue aos investigadores. A Corregedoria da PM explica que já estava previsto tirar o carro de circulação, para renovar a frota. Só que isso aconteceu no mesmo dia em que os policiais estiveram no Morro do Sumaré. Para a Corregedoria, nada que tenha atrapalhado a investigação.

“A Corregedoria, em 12 horas, conseguiu encontrar, identificar os policiais, a viatura, as imagens da viatura e o GPS, e levamos esses policiais presos para DH. Essa viatura foi feita perícia pela Polícia Civil, os equipamentos foram retirados e ela voltou para empresa”, disse o relações públicas da PM.

O Fantástico fez um levantamento nacional e descobriu que só seis estados contam com câmeras em carros de polícia: Amazonas, Bahia, Ceará, Rio de Janeiro, Roraima e Santa Catarina.

O Ceará faz esse monitoramento desde 2007. Hoje, 105 carros da Polícia Militar estão equipados com câmeras.

Uma viatura tem quatro câmeras. Uma delas fica posicionada para registrar todo o interior do veículo, a ação dos policiais. Há microfones também espalhados na viatura. Segundo o comando da PM, em locais estratégicos. Nem os policiais sabem, para que eles não interfiram nesse áudio.

A outra câmera fica bem na frente e registra tudo o que acontece num ângulo de 90 graus. As outras duas câmeras ficam na parte de trás da viatura. Uma delas vai registrar tudo o que acontece atrás e a outra câmera está posicionada num ponto e vai pegar todas as imagens de dentro, onde os presos são transportados

É só ligar o carro, que as câmeras começam a funcionar.

“O sistema é todo embutido sob o painel, teria que danificar o painel, arrebentar mesmo, então é impossível os policiais terem acesso, não tem como eles terem acesso à captação dessas imagens”, disse o coronel Paulo Mendonça, da Polícia Militar do Ceará,

A bateria da câmera é alimentada pelo motor do carro. E, mesmo com o veículo desligado, ainda garante mais trinta minutos de filmagem. Diferentemente do que aconteceu no caso do Rio de Janeiro.

As imagens captadas pelas câmeras vão para uma sala. É uma central de monitoramento. Os operadores conseguem acompanhar as gravações em tempo real.

Os registros têm ajudado a esclarecer crimes. Em junho de 2012, a câmera instalada na frente do carro da PM registrou a abordagem a um policial à paisana, que estava dentro deste carro. Ele foi parado porque se envolveu num acidente. O agente à paisana, que estava alcoolizado, atirou em um dos PMs e foi rendido. Terminou expulso da corporação.

Em outro flagrante, também no Ceará, as imagens ajudaram a inocentar dois PMs.
Atendendo a um chamado de roubo, David e um colega foram recebidos a tiros. E reagiram.

PM 1: Derruba, derruba de bala, derruba de bala
PM 1: Pede apoio, pede apoio, pede apoio
PM 2: Derrubou

O bandido morreu, e os policiais conseguiram provar que agiram em legítima defesa.

“Se nós não tivéssemos a imagem, provavelmente esses policiais teriam sido denunciados por homicídio”, disse o promotor do Controle Externo da Atividade Policial, Humberto Ibiapina.

“Se não fossem as câmeras, a gente não teria como provar inocência naquela situação”, disse o policial militar David Sousa Garcês.

“Não só serve ao policial, em razão de denúncias, de que ele fez o correto, mas como ao inverso serve para provar que ele se conduziu de maneira inadequada. Ou seja, em prol do cidadão”, disse o  secretário de Segurança Pública do Ceará, Servilho Silva de Paiva

Em Roraima, cada carro da Polícia Militar é equipado com seis câmeras.

“Na frente, atrás, atrás, nas laterais, internamente e uma câmera em cima de 360 graus.
Reduziu mais de 60% das denúncias que chegavam à Corregedoria e ao Ministério Público”, disse o coronel Ronan Marinho, da PM de Roraima.

Enquanto por aqui ainda são poucos os estados que contam com esse sistema, nos Estados Unidos câmeras em carros da polícia são comuns há muito tempo.

Na Flórida, policiais já usam uma nova tecnologia, como mostra o vídeo. Dois policiais rendem um rapaz que ameaçava a namorada com uma faca. Tudo foi registrado pelas câmeras instaladas nos coletes que eles usavam.

No Brasil, a promotora que acompanha o caso do Rio de Janeiro diz que só a tecnologia não adianta:“Tem um equipamento caro, ótimo, excelente, mas se não tiver monitoramento todo dia não resolve nada. Se demorasse mais tempo para elucidar o crime, provavelmente, poderia ter sido apagada a prova de um crime”.

Cabo Lima: Menos dois. Se a gente fizer isso toda semana dá para ir diminuindo.

Fonte: Site do Fantástico

Dunga reencontra Globo e mostra simpatia no Fantástico

O gaúcho se reencontrou com a TV carioca e buscou demonstrar simpatia. (Foto: Reprodução/TV Globo)
Durante a Copa do Mundo de 2010, Dunga teve relação difícil com a Rede Globo. O treinador fechou treinos contra a preferência da emissora e chegou a discutir e ofender o repórter Alex Escobar. Quatro anos depois, o técnico está de volta à Seleção Brasileira e tenta mostrar uma nova imagem. Neste domingo, o gaúcho se reencontrou com a TV carioca e buscou demonstrar simpatia com risos e brincadeiras em entrevista ao programa Fantástico.

Dunga foi sabatinado por Tadeu Schmidt e Renata Vasconcellos, que encontraram o treinador no Rio Grande do Sul. O substituto de Luiz Felipe Scolari foi questionado sobre a Copa de 2014, sua relação com a mídia, o modo como se veste e denúncia de que agiu como agente antes de assumir a Seleção. Em todas as perguntas buscou seguir amistoso.

"O foco maior tem que ser a Seleção Brasileira. Quando dar entrevista, tem que estar com o boné da Seleção. O Brasil tem que ter um marketing pelo futebol, as pessoas tem que falar muito mais do campo do que do extracampo", explicou o treinador ao ser questionado sobre o que mudaria em relação ao que foi feito durante a Copa de 2014.

Ao ser perguntado sobre sua primeira convocação, Dunga respondeu com sorrisos e manteve o mistério. "Não, tenho três jogadores em cada posição. Temos jogadores jovens na Europa, com bom rendimento, nos clubes brasileiros também. Tem que criar um friozinho na barriga", despistou.

Nem quando o tema passou para a relação com a imprensa Dunga deixou de ser simpático com os apresentadores. Os globais questionaram se o técnico será mais amistoso, "coisa que não aconteceu na primeira passagem pela Seleção", e perguntaram sobre o que mudou nestes quatro anos.

"Você conversa com as pessoas ao teu redor e eles te dão alguns toques importantes. Quando tem pergunta maldosa, parar e pensar, não responder na hora. Vou tentar não ser gaúcho na ponta da faca", avisou.

O novo técnico da Seleção até mesmo brincou com seu apelido quando os apresentadores do Fantástico fizeram trocadilho com os anões do conto infantil da Branca de Neve. "O Dunga deixou de ser o zangado? O Dunga não vai passar a ser o feliz?", questionaram. "Sendo Dunga já está bom, Zangado e Feliz são os extremos", respondeu.

Fonte: Terra

Motorista atropela "zumbis" em frente à Comic-Con, nos EUA

Família de deficientes auditivos se assustou com participantes da Zombie Walk. (Foto: Facebook / Zombie Walk San Diego / Reprodução)
No último sábado (27), um motorista foi "encurralado" por pessoas vestidas de zumbis em frente à Comic-Con - maior evento do mundo destinado à cultura pop, em San Diego - e atropelou várias pessoas ao redor. Com a correria, muitos se assustaram e saíram correndo, e uma mulher quase quebrou o braço. As informações são do site Deadline.

O incidente aconteceu durante a Zombie Walk, uma caminhada tradicional na qual as pessoas se vestem de zumbi e adotam o comportamento dos semi-vivos. O problema é que a família que estava dentro do carro que foi escolhido pelos "zumbis" para ser amendrontado era de deficientes auditivos. De acordo com a polícia, eles se assustaram com o "ataque" de mentira e o pai decidiu arrancar com o veículo.

Ao tentar sair, o carro atingiu uma mulher de 64 anos, que está hospitalizada agora, por conta de uma lesão no braço. Segundo a polícia, a investigação do caso ainda está correndo. Já a organização da Comic-Con reforoçou que a Zombie Walk não faz parte do evento.

Em sua defesa, os organizadores da Zombie Walk de San Diego postaram uma série de mensagens no Twitter, agradecendo pelo apoio de quem sabe "realmente" o que aconteceu. No entanto, se limitaram a dizer que vão falar apenas com a polícia. "Temos certeza do que se passou, baseados no testemunho de quem viu tudo", completaram.

Fonte: Terra

Remador cruzará oceano para financiar pesquisas sobre câncer

Caê lançou a campanha na internet Remacaê Ajude o Caê a Cruzar o Atlântico, com a finalidade de reunir patrocinadores. (Foto: RemaCae.com / Divulgação)
O caso de um grande amigo diagnosticado, em 2005, com osteossarcoma (tumor maligno dos ossos) inspirou o advogado e remador Caetano Penna Franco Altafin Rodrigues da Cunha a se aventurar e contribuir para ajudar no financiamento às pesquisas do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into).

Caetano Cunha, também conhecido como Caê, decidiu atravessar a remo o Oceano Atlântico, com o objetivo de ajudar as pesquisas do Into sobre esse tipo de tumor. Para isso, ele lançou  a campanha na internet “Remacaê – Ajude o Caê a Cruzar o Atlântico”, com a finalidade de  reunir patrocinadores. Para cada R$ 1 coletado, R$ 0,50 serão destinados ao instituto, vinculado ao Ministério da Saúde.

O instituto iniciou as pesquisas com células-tronco tumorais em pacientes com diagnóstico de osteossarcoma em agosto de 2012. “Descobri essa pesquisa que o Into está desenvolvendo, tentando aprimorar e individualizar o tratamento de pacientes diagnosticados com osteossarcoma, me apaixonei pela causa e resolvi abraçar o projeto”, disse Caê que perdeu o amigo para a doença em 2006.

A travessia no Atlântico será feita com uma equipe de oito remadores em um barco feito de fibra de carbono, mesma tecnologia utilizada em carros de Fórmula 1, para trazer segurança à aventura.

A equipe ficará de 30 a 33 dias no mar. Cada atleta remará com intervalo de duas horas. A partida está prevista para 10 de dezembro, nas Ilhas Canárias, na costa africana. A confirmação da data dependerá das condições climáticas. Como a equipe também tem o objetivo de bater o recorde e entrar para o Guiness Book, a viagem será desassistida, isto é, não haverá barcos de acompanhamento.

O chefe do Centro de Oncologia Ortopédica do Into, Walter Meohas, disse à Agência Brasil que a pesquisa com células-tronco avalia a resposta da quimioterapia de pacientes portadores de osteossarcoma. “A pesquisa está na fase inicial”, destacou Meohas, que é coordenador do estudo. O estudo foi feito com 12 pacientes já operados. Para que a resposta seja mais fidedigna, é preciso elevar esse número para 40, informou o médico.

O objetivo da pesquisa é identificar o motivo de casos clínicos iguais terem respostas diferentes na quimioterapia e saber se existe alguma condição genética que faz com que essa resposta seja modificada com a mesma droga. Isso permitirá aos pesquisadores programar, no futuro, um tratamento oncológico individualizado para cada paciente.

Esse tipo de câncer atinge pessoas de todas as idades, mas a maior incidência é em crianças. O índice de mortalidade é elevado. Cerca de 50% a 60% dos doentes com osteossarcoma morrem em cinco anos. “É altamente agressivo”, disse Meohas que considerou a campanha do remador muito importante. "A pesquisa é cara e longa", destacou.

Atualmente, a maior parte do material utilizado é comprada pelo governo. Quanto mais recursos forem dirigidos à pesquisa, “mais facilidades de material a gente vai ter e menos restrições”, disse o pesquisador que estimou que mais de 30 pacientes aguardam no Into para serem operados.

De acordo com o Into, o tumor atinge ossos das pernas, dos braços e da coluna e o tratamento envolve grandes procedimentos cirúrgicos. Em 27% dos casos é necessária a amputação ou a substituição do membro por prótese ou enxerto ósseo.

Fonte: Terra, com Agência Brasil