Graer socorre motorista após acidente em São Sebastião do Passé

 

Por volta das 16h30, na BA 523, no município de Sebastião do Passé, policiais militares do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer) foram acionados após uma colisão entre um caminhão e uma Pick-Up Strada, que deixou duas pessoas feridas.
Devido a gravidade dos ferimentos, o condutor da Pick-Up foi transportado pelo helicóptero do Graer para o Hospital do Subúrbio. Já o motorista do caminhão foi socorrido pela equipe do SAMU para um hospital público. Não há informações sobre o estado de saúde das vítimas.

Ascom PMBA

Polícia Militar recupera produtos e prende assaltantes em Serrinha


Na tarde de sexta-feira (26), durante ronda policial, uma guarnição da Companhia de Emprego Tático Operacional (Ceto) do 16º Batalhão da PM foi acionada após denúncia de roubo em um hipermercado, localizado no centro do município de Serrinha. Após incursões na região, os PMs identificaram e interceptaram o veículo Corsa Wind e prenderam três homens. Na abordagem, os policiais encontraram com os indivíduos um revólver, 17 aparelhos celulares e a quantia de 3.534,50 reais. 
Os indivíduos e todo material apreendido foi apresentado na delegacia de Serrinha, onde a ocorrência foi registrada.

Ascom PMBA

São João dos Bairros leva cerca de 5 mil pessoas ao arraiá da Avenida dos Tropeiros

 

Depois do José e Maria, agora é a vez dos moradores do Jardim Amazonas e Pedro Raimundo aproveitarem a animação do São João dos Bairros que chegou à Avenida dos Tropeiros na noite desta sexta-feira (26). A animação levou cerca de 5 mil pessoas à avenida para curtir o segundo fim de semana da festa dos bairros que está de volta ao circuito oficial do São João de Petrolina. 
Quem abriu a noite de festa foi o cantor Adennys Vaqueiro aquecendo o público que ainda aguardava duas grandes apresentações das bandas Saia Rodada e New Bis. Tocando sucessos novos e das antigas, a Banda Saia Rodada trouxe um repertório que agradou, e muito, todos forrozeiros da noite. 
Quem também prestigiou o evento, foi o prefeito Miguel Coelho que acompanhou os festejos ao lado do Senador Fernando Bezerra Coelho e do Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho. “Trazer o São João de volta às comunidades de Petrolina é democratizar e descentralizar a festa junina que faz parte da nossa tradição. Estas festas têm sido motivo de muito orgulho, principalmente, porque estamos vendo aqui famílias inteiras se divertindo e brincando num clima de muita paz”, destacou o prefeito. 
Quem não pode curtir a festa de ontem ainda terá a oportunidade de aproveitar a festa deste sábado (27) que começa a partir das 21h com animação de Pedro Duarte, Sem Radar e Jonathan Araújo. 
No próximo fim de semana o São João dos Bairros segue para o bairro Areia Branca onde haverá shows com Trio Granáh, Raimundinho do Acordeon, Fabiana Santiago e Joypson Tavares na sexta-feira (02/06) e ainda no Sábado (03/06) com Felipão Forró Moral, Gueber e André Mendes.

Ascom PMP

Vítima de acidente na Sapucaí no carnaval piora e está em estado grave


Piorou o estado de saúde de uma das vítimas do acidente com o carro alegórico da escola de samba Paraíso do Tuiuti. No domingo de carnaval, o carro perdeu o controle e atropelou 23 pessoas na concentração para o desfile no sambódromo do Rio de Janeiro.
A Secretaria Municipal de Saúde confirmou hoje (27) que piorou o quadro de saúde da fotógrafa Lúcia Regina de Mello Freitas, que teve fratura exposta na perna. Internada há mais de 90 dias, ela está em estado grave e voltou ao Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Miguel Couto.
Em 29 de abril, morreu outra vítima do acidente, a radialista Eizabeth Ferreira Joffe, de 55 anos, conhecida como Liza Carioca. Liza estava internada no Hospital Quinta D'or, em São Cristovão, zona norte do Rio.
O inquérito para apurar o acidente foi concluído pela Polícia Civil no dia 15 de março e quatro pessoas foram indiciadas na 6ª Delegacia da Cidade Nova: o diretor de Carnaval da Tuiuti, Leandro de Azevedo Machado; o diretor de Alegoria da escola, Jaime Benevides de Araújo Filho; o engenheiro Edson Marcos Gaspar de Andrade e o motorista Francisco de Assis Lopes.

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

Espaço aéreo: conheça as regras para drones, aeromodelos e balões


A aprovação, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de regras para o uso civil de drones, no começo de maio, trouxe à tona dúvidas sobre a regulamentação e uso do espaço aéreo em outras atividades.
Uma das principais inovações da norma é a proibição do uso de drones sem registro e documentação e se não houver comunicação prévia.
Segundo o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, qualquer objeto que se desprenda do chão e seja capaz de se sustentar na atmosfera está sujeito às regras de acesso ao espaço aéreo brasileiro. Desse modo, todo voo com aeronave não tripulada também precisa de autorização.
As novas regras para drones, segundo a própria Anac, são complementares aos normativos do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).
Antes da norma entrar em vigor, a agência reguladora avaliava caso a caso os pedidos de operações com drones e emitia autorizações especiais para voos. Ao todo, mais de 400 documentos foram emitidos. O órgão, no entanto, não tinha, até então, uma estimativa da quantidade de equipamentos em operação no Brasil. Com a regulamentação, o registro de drones com mais de 250 gramas passou a ser obrigatório e agência espera ter um cadastro atualizado dos aparelhos em uso em todo o Brasil.
Regras diferenciadas
As aeronaves não tripuladas são divididas em três grupos: autônomas, remotamente pilotada (RPA) – caso dos drones – e aeromodelos. As primeiras não podem acessar o espaço aéreo brasileiro. Já as RPAs e os aeromodelos têm autorização mediante o cumprimento de algumas regras.
As RPAs podem ser utilizadas para fins corporativos ou comerciais, em situações como filmagens, fotografias, mapeamento de imagens 3D, busca e salvamento, defesa civil e aérea, entre outros usos não recreativos. Já os aeromodelos são usados exclusivamente para fins de lazer ou esporte.
Não é permitido transportar pessoas, animais, artigos perigosos e outros itens proibidos por autoridades competentes nos drones.
Os aeromodelos ainda são dispensados de alguns requisitos previstos no novo regulamento da Anac. Para esses equipamentos, as operações de voos são permitidas sob total responsabilidade do seu piloto e não há restrição quanto à idade mínima para operá-los.


Aeromodelos com peso máximo de decolagem de até 250 gramas não precisam ser cadastrados na agência reguladora. Entretanto, os aeromodelos operados acima de 400 pés (120 metros do nível do solo) devem ser cadastrados e, nesses casos, o piloto remoto do deverá possuir licença e habilitação.
O presidente da Confederação Brasileira de Aeromodelismo (Cobra), Rogério Luiz Lorizola, disse que a necessidade de cadastro e enumeração de equipamentos preocupa os aeromodelistas. “Tem piloto que chega a ter 20, 30 aeromodelos, e registrar todos eles gerou um desconforto”. Além disso, segundo Lorizola, há incertezas sobre a taxação futura da atividade. “Por enquanto, o governo não cobra nenhuma taxa para cadastrar os aeromodelos, mas temos medo que isso aconteça.”
Balonismo
Em relação ao uso do espaço aéreo para balonismo, a Anac destaca que apenas empresas certificadas podem comercializar serviços na aviação civil brasileira, inclusive de voos de balão. “A certificação da empresa é necessária para segurança dos interessados em contratar uma empresa”, justifica a agência. Para operar um balão comercial, a empresa precisa ser registrada como táxi-aéreo e o piloto, ter licença comercial. Já para o uso de balões como lazer, o piloto deve ter o Certificado de Piloto Desportivo (CPD) ou o Certificado de Piloto Recreio (CPR).
Voos turísticos e panorâmicos em balões também precisam de certificação do equipamento e do piloto. Já os balões experimentais só podem ser usados para aerodesporto, como atividades de lazer e competições, e também devem ser registrados na Anac.
De acordo com dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), 24 colisões entre aeronaves civis e balões foram registradas desde janeiro de 2012. São Paulo e Rio de Janeiro são os estados em que o órgão mais reporta voos de balão nos centros de controle e as ocorrências têm aumentado: em 2012, balões foram avistados 84 vezes em São Paulo e 27 vezes no Rio de Janeiro; em 2017, em cinco meses, 98 registros já foram feitos nos dois estados.


Os balões não tripulados movidos a fogo não são permitidos no Brasil e a prática é considerada crime ambiental e atentado contra a segurança do transporte aéreo.
Por causa das restrições legais a esse tipo de equipamento, uma nova modalidade de balonismo chama a atenção dos admiradores: o balão ecológico. Feito de papel de seda, sem nenhum metal e movido por um maçarico de baixa pressão, os balões ecológicos não apresentam risco para o meio ambiente nem para a população, segundo o presidente da associação Somos Arte, Papel e Cola (Sapec), Egbert Scholgel.“O balonismo é uma prática que está enraizada na cultura brasileira, e desde a proibição [de balões não tripulados movidos a fogo], estamos desenvolvendo outras maneiras de dar continuidade a essa cultura. O balão ecológico foi a solução encontrada.”
Segundo Scholgel, a soltura desses balões é sempre acertada com os órgãos de controle, feita em local apropriado, longe de aeroportos, e apenas em eventos próprios para a atividade.
Criada em Curitiba, a Sapec é uma das três associações brasileiras de balonismo ecológico que buscam a regulamentação dessa prática. “Durante muito tempo só se falou em proibição e criminalização, ninguém fala na regulamentação”, afirma Scholgel.
Fiscalização
Por parte da Anac, a fiscalização de aeronaves remotamente pilotadas será incluída no Programa de Vigilância Continuada e as denúncias recebidas serão apuradas administrativamente de acordo com as sanções previstas no Código Brasileiro de Aeronáutica. Entre as punições previstas pela agência para quem descumprir as regras estão multa, suspensão, cassação, detenção, interdição, apreensão e intervenção. Outras sanções também estão previstas nas legislações referentes às responsabilizações nas esferas civil, administrativa e penal, com destaque à inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas.
O Código Penal prevê, em seu Artigo 261, pena de reclusão de dois a cinco anos para quem expuser a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia, ou praticar qualquer ato tendente a impedir ou dificultar navegação marítima, fluvial ou aérea. A lei também tipifica a exposição de pessoas a risco e prevê pena de detenção de três meses a um ano nos casos em que se coloquem em perigo direto ou iminente a vida ou à saúde terceiros.
Já o Artigo 33 do Decreto-Lei das Contravenções Penais estabelece que dirigir aeronave sem estar devidamente licenciado pode gerar pena de prisão simples (15 dias a três meses) e pagamento de multa. Pelo Artigo 35 do mesmo decreto, praticar acrobacias ou fazer voos baixos, fora da zona permitida em lei, bem como fazer descer a aeronave fora de lugares destinados a essa finalidade, também pode gerar prisão simples e multa.
Outras sanções poderão ser aplicadas conforme regras de outros órgãos públicos como a Anatel, se envolver questões de radiofrequência; e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão do Ministério da Defesa responsável pela fiscalização de aspectos relacionados ao uso do espaço aéreo.
A Anac lançou uma cartilha com mais informações sobre as regras para uso de drones, que pode ser consultada no site da agência. 

*Estagiária sob supervisão de Luiz Cláudio Ferreira
Larissa Galli*
Agência Brasil

Chuvas fortes provocam quatro mortes em Maceió


A prefeitura de Maceió confirmou a morte de quatro pessoas em decorrência de soterramentos na cidade após as fortes chuvas que atingem a cidade. As vítimas são uma criança, duas mulheres e um homem.
O Corpo de Bombeiros de Alagoas também registrou o resgate de 33 pessoas na capital do estado. Na região metropolitana, não há registro de mortes, mas há centenas de desalojados. Segundo o Corpo de Bombeiros, as prefeituras das cidades próximas a Maceió ainda estão fazendo o levantamento de desabrigados. Em Marechal Deodoro, a 28 quilômetros da capital, o nível da lagoa aumentou. A previsão é que a inundação tenha deixado de 150 a 300 desabrigados.
Segundo a prefeitura de Maceió, foram recebidos aproximadamente 40 chamados de emergência somente nesta manhã, com 23 deslizamentos de barreiras, sete quedas de árvores, uma ameaça de deslizamento e oito ameaças de desabamento de imóveis.
De acordo com a Defesa Civil, em oito horas choveu 55,8 milímetros (mm). Em dias normais no período chuvoso, a média é 12 mm. Em todo o mês de maio, foram registrados 567,6 mm de chuva, número 48,5% maior que os 382,2 mm esperados. Este é o maio mais chuvoso em Maceió desde 2010.
Situação de emergência
Em decorrência das fortes chuvas que atingem Maceió nos últimos dias, a prefeitura decretou hoje (27) situação de emergência e estado de calamidade pública na capital alagoana. O decreto, assinado pelo prefeito Rui Palmeira e já em vigor, circula em edição extraordinária do Diário Oficial do Município e atende solicitação da Defesa Civil da cidade, em conjunto com a Secretaria Municipal de Governo.
“Todas as equipes da Prefeitura estão mobilizadas neste esforço coletivo de atender às demandas da população imensamente prejudicada com as fortes chuvas que caem sobre Maceió. Chuvas que são as mais intensas dos últimos anos, segundo registros dos órgãos de monitoramento meteorológico. Decretar Emergência e Calamidade Pública foi necessário para avançarmos nesta assistência, inclusive mobilizando outras esferas de governo e buscando apoio” afirmou o prefeito Rui Palmeira, de acordo com a assessoria de imprensa.
No fim da manhã de hoje (27), o prefeito confirmou a mobilização de 100 homens do Exército e mais dois técnicos da Defesa Civil Nacional, que vão ajudar na coordenação dos trabalhos.
“Há muito tempo Maceió não sofria com chuvas tão fortes e por um tempo tão prolongado. Os secretários municipais e as equipes de trabalho viraram a madrugada atendendo a ocorrências, desobstruindo vias atingidas por quedas de barreiras e atendendo desabrigados e desalojados, mas precisamos muito do apoio nacional para enfrentar essa calamidade em Maceió”, disse Rui Palmeira, segundo a assessoria.

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

Documentário traz sonhos e desafios dos jovens do ensino médio público


Estreia em 8 de junho o documentário Nunca me Sonharam, que apresenta um panorama do ensino médio nas escolas públicas do Brasil por meio de depoimentos de jovens estudantes, professores e especialistas em educação. Percorrendo as cinco regiões do país, o filme é capaz de aproximar o público dessa realidade de forma intensa, mostrando a grandeza dos sonhos de cada jovem, suas angústias em relação ao futuro e a complexidade de educar diante de tantas adversidades que é imposta aos professores.
A partir da iniciativa do Instituto Unibanco, que desenvolve um projeto de gestão em mais de 2,5 mil escolas públicas do Brasil, o filme foi construído durante dois anos e teve direção de Cacau Rhoden. “Sou grato pela oportunidade de mergulhar neste país e ouvir esses meninos que têm tanto para falar e nos ensinaram muito. Foi um trabalho muito coletivo de exercitar a escuta e colocar esse assunto na mesa de jantar, na mesa do bar, em outros âmbitos, transcendendo os muros da escola”, disse.
Do interior do Ceará, da cidade de Nova Olinda, veio a fala do estudante Felipe Lima que dá nome ao documentário. Ele conta que seus pais acreditavam que só filho de rico entrava na universidade. “Para eles, o máximo era terminar o ensino médio e arrumar um emprego. Trabalhador de roça, vendedor, alguma coisa desse tipo. Acho que nunca me sonharam sendo um psicólogo, nunca me sonharam sendo professor, nunca me sonharam sendo um médico, não me sonharam. Eles não sonhavam e nunca me ensinaram a sonhar. Estou aprendendo a sonhar”, disse no filme.
Em entrevista à Agência Brasil, Felipe disse que o documentário é um legado que pode servir de inspiração para vários jovens. No fim do ano passado, ele formou-se no ensino médio e hoje cursa Gestão de Recursos Humanos por meio de bolsa integral do Programa Universidade para Todos (Prouni), do governo federal. “Para mim, chegar até aqui já tem sido uma imensa vitória. O que eu penso, a partir de agora, é que o céu é o limite. Para quem sonha, não tem limites, você não para, você está em constante transformação, em constante busca pelo conhecimento”, declarou.
“Hoje os jovens talvez estejam meio ofuscados nessa turbulência toda, nessa escuridão que o país está vivendo, mas é necessário, é muito importante os jovens acreditarem nesse poder transformador da educação. A educação, por mais que esteja em um caos, não deve ser vista como um problema e sim como uma solução para todas as mazelas sociais”, acrescentou o jovem.
Direito à educação
Referindo-se diversas vezes ao valor da educação como um direito fundamental, o filme apresenta depoimentos como os do professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Gersem Baniwa. Para ele, a educação é uma ferramenta fundamental de libertação e o ensino médio é um rito de passagem (para os jovens).
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 82% das crianças e jovens até 19 anos que estão estudando são atendidos pela escola pública. No entanto, há ainda 1,6 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos fora da escola. Para o superintendente executivo do Instituto Unibanco, Ricardo Henriques, o filme coloca de forma explícita o desafio das políticas públicas no Brasil de assumirem a responsabilidade de “sonhar seus jovens”.
“Sonhar seus jovens hoje implica ter uma visão sistêmica de estruturação de toda a agenda política em torno da garantia do direito de aprendizagem da juventude, recolocar o jovem como elemento central do desafio do ensino médio público e instituir procedimentos da esfera do governo federal e do estadual que cheguem até a sala de aula, que estejam o tempo todo, de forma recorrente, atentos à garantia do direito de os jovens ficarem na escola, não abandonarem, e aprenderem o necessário”, explicou Henriques.
Para ele, a motivação do filme é provocar um debate em torno dos caminhos possíveis, não de uma solução única, para construir modos de garantir a aprendizagem dos jovens na escola pública. “A criação do filme, a busca dos personagens, a identificação de situações-problema, de gargalos a serem resolvidos e dos personagens a serem entrevistados foram todos em cima de escolas [públicas] que são do Jovem de Futuro [projeto de gestão escolar do instituto]”, acrescentou.
Presidente
Estudante formada na escola estadual Professor José de Souza Marques, no Rio de Janeiro, Thaianne de Souza Santos, de 18 anos, e que hoje cursa Administração na Faculdade Souza Marques com bolsa integral, sonha em ser presidente. “Eu sonho em ser professora e posteriormente em ser presidente. Interessante é sonhar e mais interessante ainda é motivar alguém a sonhar”, disse à Agência Brasil.
Segundo ela, o documentário trouxe uma realidade interessante. “Coisas que aconteceram, por exemplo, no Ceará, são coisas que eu sei da minha realidade no Rio de Janeiro. Eu chorei o filme todo porque eu vivi parte daquilo e porque eu conheço pessoas que viveram parte daquilo. Não é uma coisa isolada, é a realidade”, declarou.
“E não é todo dia que acontece um filme que mostra a realidade. A gente vê comercial na televisão que não mostra a realidade, a gente vê propaganda do governo que não mostra a realidade, que dá impressão para o jovem que o poder está na nossa mão, que a gente está decidindo, mas, na verdade, a gente não está decidindo. Já foi decidido, e a gente está assistindo a todas essas decisões”, comentou a estudante.
Diversidade
A antropóloga Regina Novaes avaliou o documentário de forma positiva, citando a abrangência regional e a diversidade de debates produzidos, incluindo jovens e professores. Para ela, a discussão possibilita denunciar o que é ruim e reconhecer o que está funcionando bem. “Os alunos são sensacionais porque eles colocam críticas à escola, percebem o que não está bom, mas, ao mesmo tempo, percebem o que a escola dá de oportunidade para eles mudarem o sentido dela”, disse.
A especialista considera a democratização da escola pública como um avanço. “No passado, a escola pública era para poucos e só refletia a elite da sociedade que a frequentava. A maioria dos jovens estava no mercado de trabalho, de uma maneira precoce e precarizada”, explicou.
Para Regina, o filme é um instrumento importante de discussão no momento atual. “Ele [o documentário] mostra que, justamente quanto mais se tem a possibilidade de os alunos discutirem, mais eles vão aprender. Eles [produtores do filme] dizem isso de uma maneira brilhante. Ser acolhido na escola faz você aprender melhor as coisas. O filme é uma vacina nesse momento que estamos vivendo, nesse momento de retrocesso, de generalização, de crítica. Ele vai ajudar a pensar os processos em curso, o que tem que melhorar, sem dúvida nenhuma, mas o que não volta para trás mais”, finalizou.
A partir de 8 de junho, o documentário estará em cartaz no Espaço Itaú de Cinema de São Paulo e do Rio de Janeiro, além de ficar disponível gratuitamente no linkhttp://www.videocamp.com/pt/movies/nuncamesonharam. Enquanto isso, o público pode assistir ao trailer na mesma página.

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

Ato com máscaras em Copacabana pede fim da corrupção e reforma política


Na manhã de hoje (27), 595 máscaras foram colocadas nas areias da Praia de Copacabana, na altura da avenida Princesa Isabel, pela organização não-governamental (ONG) Rio de Paz, para simbolizar os 513 deputados, 81 senadores e o presidente Michel Temer. Ao lado havia duas faixas, pedindo a reforma política e a renúncia do presidente da República.
De acordo com o presidente da ONG, Antônio Carlos Costa, as máscaras pintadas de vermelho representam a vergonha que os políticos deveriam ter da atual situação do país. Do total, 95 máscaras são brancas, para simbolizar a parcela de políticos íntegros.
“Essas máscaras pintadas de vermelho representam a vergonha que gostaríamos de ver estampada no rosto da classe política brasileira e que não está. Eles são flagrados em gravações e não apenas não revelam nenhum constrangimento como partem para a ofensiva. Essas máscaras estão enterradas aqui na areia porque simboliza essa corrupção que já alcançou o pescoço da classe política brasileira”, afirma.
Costa lembra que a ONG faz ações normalmente voltadas para a área de segurança pública e direitos humanos, mas, segundo ele, a crise política interfere diretamente na vida do cidadão, fazendo referência às denúncias contra ocupantes de altos cargos, como o presidente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves, entre outros, citados em delação dos donos da empresa JBS. Ambos foram gravados por Joesley Batista, mas negam acusações de envolvimento com caixa 2 e propina.
“Todos os dias recebemos notícias de moradores de favelas vítimas de balas perdidas, estão morrendo em tiroteios entre policiais e traficantes. Somamos os 14 milhões de desempregados e metade dos brasileiros que não têm acesso à rede de esgoto. Isso num cenário de corrupção escandalosa no Congresso Nacional e que atingiu agora o mais alto posto da República. Isso se reflete na ponta, na vida de milhões de trabalhadores, na vida do pobre, do sertanejo, do morador de favela”.
Sobre a reforma política, a Rio de Paz considera importante mecanismos que “dificultem a ascensão ao poder de corruptos e incompetentes”, como diminuição do número de partidos políticos, fim do “puxador de voto” que “arrasta junto pessoas que não receberam voto quase nenhum e ninguém conhece” e a cláusula de barreira para que não tenha “partido sem representante e sem voto recebendo dinheiro público para a campanha”. Costa destaca, ainda a importância dos políticos manterem o contato com a população que o elegeu.
O ato das Máscaras da Vergonha foi montado em Brasília na terça-feira (23) e será levado a São Paulo na próxima quarta (31), onde será montado no Masp de 6h às 14h.

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

9º GBM resgata cobra em veículo no centro de Juazeiro- BA

 

Na tarde dessa sexta-feira (26) uma guarnição do Nono Grupamento de Bombeiros de Juazeiro, foi acionada para capturar uma cobra da espécie corredeira de aproximadamente 80 cm, que estava escondida dentro do motor de um veículo no centro de Juazeiro. 
Inicialmente foi realizado o trabalho na identificação da espécie, em seguida foi solicitado um funileiro, a fim de contribuir na retirada no para-lama lateral esquerdo do veículo, onde a serpente estava alojada. Após exaustivas tentativas, em virtude do animal está em constante deslocamento pelo motor do veículo, foi dado um jato com um compressor de ar, a cobra foi capturada e devolvida ao seu habitat natural.

Ascom 9º GBM

Fernando Bezerra Coelho cumpre agendas em Petrolina ao lado de Miguel Coelho e Fernando Coelho Filho


Petrolina, 27/05/2017- O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) passa o final de semana em Petrolina, onde participa de uma série de agendas políticas e institucionais. Na sexta ele dialogou com lideranças da região e gestores públicos. Fernando Bezerra recebeu em seu escritório político o ex-prefeito de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé (PSB), o vereador petrolinense Gilberto Melo (PR) e o vereador de Salgueiro, André Cacau (PT).
Membro titular da Comissão Mista Permanente Sobre Mudanças Climáticas (CMMC), o senador conversou com o chefe geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para a região do semiárido, Carlos Gama, e com a pesquisadora Francislene Angelotti. Eles convidaram o senador para participar do 5º Simpósio Brasileiro de Mudanças Climáticas e Desertificação (Simud), que irá ocorrer entre os dias 14 e 18 de agosto, nas cidades de Petrolina e Juazeiro. O simpósio será realizado simultaneamente ao XX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia.



Durante a noite, Fernando Bezerra foi à abertura do São João nos bairros, acompanhado do prefeito Miguel Coelho e do ministro das Minas e Energia Fernando Coelho Filho. A inciativa da gestão municipal é democratizar festa, levando atrações e movimentando o comércio por toda a cidade.
No sábado pela manhã, o senador, o prefeito e o ministro participaram de ação do programa “Novo Tempo na Saúde”. Eles visitaram a unidade de Atendimento Médico Especializado (AME) do bairro Pedra Linda. Eles conversaram com profissionais da área de saúde e usuários do sistema público, que elogiaram os esforços da atual gestão para garantir mais eficiência no atendimento e realização de exames. Na sequência, Fernando Bezerra Coelho e o prefeito vistoriaram a obra da ciclofaixa na cidade.



Ascom senador FBC

Diretório Central Dos Estudantes (DCE) e Diretório Acadêmico (D.A) de Direito da Facape repudiam atitude de professor que expôs pelo WhatsApp erros ortográficos de alunos





Confiram a nota, na íntegra, do DCE:

O Diretório Central dos Estudante (DCE) e o Diretório Acadêmico (D.A) de Direito da Facape vêm, por meio desta nota, manifestar o seu total repúdio ao ato de desrespeito praticado pelo docente do curso de Direito, intitulado Doutor, Carlos Gonçalves de Andrade Neto, que, em um grupo dos professores da rede social eletrônica WhatsApp, rebaixou e grifou de maneira acintosa erros ortográficos de provas e recurso feitos por alunos da instituição.
Tal atitude expõe a tratamento vexatório os alunos autores, pois por mais que não tenham sido identificados os autores de tais documentos na publicação, e ainda que tais responsáveis não tenha se declarado, aqueles que reconheceram sua grafia certamente passaram por um desconforto perante os seus amigos e nas rodas de conversas no meio acadêmico, mesmo que de forma implícita.
Além do mais, tal conduta constitui ato contrário à natureza da própria instituição na qual o Sr. Dr.Carlos Gonçalves exerce a docência, uma vez que feriu o código de ética, assim como o regimento interno da Autarquia, que no seu artigo 100º destaca que:
“O docente da educação superior da AEVSF/Facape tem o dever constante de considerar a relevância social de suas atividades, mantendo conduta moral e funcional compatível com a dignidade e o decoro profissional, em razão do que deverá, sem prejuízo de outras obrigações”.
E em seu inciso I diz que é dever do docente “Conhecer e respeitar as leis, os estatutos, os regulamentos, os regimentos e as demais normas vigentes”. Nesse ato praticado pelo Sr. Dr. Carlos Gonçalves, fica claro o desrespeito às normas e diretrizes que norteiam a educação brasileira. 
Do mesmo modo descumpriu o inciso IX, o qual dispõe que se deve “manter conduta compatível com a moralidade administrativa”, havendo total desprezo aos padrões éticos, agindo sem decoro, pois não atuou com o comportamento que é esperado por um profissional da educação; de má-fé, uma vez que publicou partes específicas intencionalmente, em tom de deboche; e fora dos limites da probidade administrativa, dado que não observou os deveres da justiça e de retidão na função pública.
Igualmente infringiu o inciso XV, “guardar sigilo profissional”, pois sabemos que a avaliação é um documento sigiloso e somente poderão ter acesso a ela o professor e o aluno, não podendo ser exposta publicamente, toda ou parte dela, sem a prévia autorização do aluno. 
Essa atitude é extremamente reprovável, visto que o meio acadêmico é, por excelência, o ambiente no qual se deve buscar e aprimorar o conhecimento das ciências, é o lugar em que devemos acertar e temos o direito de errar quantas vezes for necessário, para não mais cometermos aquele erro, estando o professor ali para ter a humildade e a sensatez de nos apontar o erro, de forma profissional. Sabemos que as críticas, quando formuladas fundamentadamente, podem e devem contribuir para o aperfeiçoamento do estudante como ser humano e futuro profissional. Porém, o Sr. Dr. Carlos Gonçalves de Andrade Neto, longe de criticar construtivamente, limitou-se a desqualificar os erros de forma grosseira e pública. 
Compreendemos que a liberdade de expressão é uma garantia conferida a todos. Porém, tal direito não deve ser usado de forma inconsequente. Do mesmo modo, a docência deve ser exercida com o objetivo de proporcionar o crescimento acadêmico e a formação da cidadania dos discentes. Em discordância a isso, o Sr. Dr. Carlos Gonçalves prefere instigar por meio da gozação o preconceito e o desrespeito, empregando suas energias para diminuir o esforço e a dedicação despendidos pelos alunos na elaboração de suas avaliações.
Por essas razões, exigimos retratação pública do docente Dr. Carlos Gonçalves de Andrade Neto, assim como a tomada das medidas cabíveis por parte do Conselho de Ética da Facape. Ao mesmo tempo, reafirmamos nossa solidariedade com os alunos autores das avaliações e do recurso que foram expostos. 

Diretório Central Dos Estudantes (DCE) e Diretório Acadêmico (D.A) de Direito/Facape

SINDSEMP participa de formação referente ao monitoramento e avaliação dos planos municipais de educação 2017


Diretores do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (SINDSEMP), e representantes da Associação dos Profissionais em Educação, estiveram reunidos nos dias 24 e 25 de maio no Centro de Convenções, para o encontro que teve como tema a formação referente ao monitoramento e avaliação dos planos municipais de educação do ano de 2017. 
O evento que teve como público alvo os Dirigentes Municipais de Educação, equipes técnicas e comissões coordenadoras, abordou assuntos como as quatro etapas do monitoramento e avaliação dos planos municipais de educação, Artigo sobre o Sistema Nacional de Educação, Federalismo e os obstáculos ao Direito à Educação Básica, entre outros. 
A professora Elena Alves, Diretora de Assuntos Extraordinários do SINDSEMP, participou do encontro e falou da importância deste momento de estudo e planejamento para reformulação do Estatuto e Plano de Carreira do Magistério Municipal (EPCM). “Dia 25 tivemos uma palestra muito importante com a professora Cristina, representante da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação – UNDIME, e na quinta-feira (25), a Ex-Secretária de Educação de Petrolina, Célia Regina trouxe as orientações do Ministério da Educação (MEC), de como elaborar os Planos de Cargos e Carreiras (PCR)”, finaliza.
A vice-presidente do SINDSEMP, professora Inês Silva, ressalta a necessidade dos sindicatos fazerem parte de momentos como este, para que possam acompanhar de perto todos os processos referentes à educação do município. “Nós do sindicato estamos fazendo parte da comissão de reformulação do plano de cargos e carreiras, assim como da comissão do fórum permanente das metas do plano municipal de educação. Estamos participando de todos os eventos, comissões e fóruns. Estamos presentes em todas as discussões relacionadas ao plano municipal de educação”, explica, reforçando que é indispensável essa atuação para que se tenha um controle do que está acontecendo, com controle social.

Ascom SINDSEMP